PM está pronta para clássico na Vila

Nesta terça-feira, uma reunião na Vila Belmiro envolveu representantes da Polícia Militar de São Paulo e a de Santos, para os últimos ajustes com relação ao planejamento do policiamento para o clássico de quinta-feira, entre Santos e Corinthians. As principais torcidas organizadas dos dois clubes estão tranqüilas e não temem confronto pós-jogo. Os dois mil corintianos que conseguiram ingressos entrarão apenas pelo portão 21 da Vila, escoltados pela PM. De São Paulo, com cerca de 130 agentes da PM, descerão dez ônibus da Gaviões da Fiel e cinco da Torcida Jovem. ?Uma descerá pela Imigrantes e outra pela Anchieta. Não haverá encontro de torcidas. Eu mesmo estarei acompanhando o processo. Será um policiamento como de final de campeonato?, garante o coronel Luís Serpa, responsável pelo reforço da PM de São Paulo.O major Roberto Alves, do batalhão de Santos, garante: ?A PM não teme nada, nem ninguém. Fazemos nosso trabalho como em todos os jogos e se acontecer alguma coisa vamos usar a energia necessária para estabelecer a ordem. Serão 320 agentes no total, envolvendo Polícia Rodoviária, Cavalaria e outros.?Quanto à possibilidade de torcedores corintianos se infiltrarem na torcida do Santos (porque os dois mil ingressos acabaram em 20 minutos), o coronel Serpa recomenda: ? Nesse caso é melhor que o corintiano fique quietinho, já que estará entre 18 mil santistas. Os corintianos entrarão apenas pelo portão 21. Quem entrar pelo outros vai ficar nos outros setores.? Policiais à paisana estarão infiltrados nas duas torcidas. ?Os agentes estarão prontos para conter qualquer um que tentar acabar com a ordem durante o jogo?, assegura o major da PM.

Agencia Estado,

11 de outubro de 2005 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.