Gonçalo Junior/Estadão
Gonçalo Junior/Estadão

PM retira torcida que queria ver final do Paulistão da linha do trem em Campinas

Corporação alega falta de segurança para vetar presença de oito torcedores pontepretanos no local

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2017 | 15h26

A Polícia Militar impediu que os torcedores da Ponte Preta assistissem à primeira partida da final do Campeonato Paulista contra o Corinthians, neste domingo, na linha de trem que passa nas proximidades do estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP). Aproximadamente uma hora antes da partida, oito policiais pediram que os torcedores que começavam a se concentrar no local se retirassem. A PM alegou questões de segurança.

Atualmente, a ferrovia é utilizada por trens de carga que levam minérios que serão transportados ao porto de Santos. A linha faz a ligação entre as cidades de Jundiaí (SP) e Campinas.

Nos anos 1960, a ferrovia era uma arquibancada improvisada que ficava cheia nos jogos da Ponte Preta. Quem não tinha dinheiro para o ingresso via as partidas dali, mas a vista é parcial, só dá para ver metade do campo. "Esse hábito vem desde 1940, mas se tornou intenso nos anos 1960 e 1970", explicou o professor José Soares Neto, historiador da Ponte Preta. "A questão era principalmente financeira. Quem não tinha dinheiro para os ingressos, ficava na ferrovia. Mas sempre foi perigoso", opinou.

É intensa a movimentação dos torcedores da Ponte Preta nas proximidades do estádio. A expectativa é de lotação máxima, com cerca de 17 mil torcedores. Do total, 2,2 mil foram destinados à torcida do Corinthians. Os pontepretanos estão eufóricos com a possibilidade de conquista do primeiro título em 117 anos de história.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.