PM se arma para guerra no Palestra

A Polícia Militar fará barricadas no portão principal do Palestra Itália, na Rua Turiaçu, em São Paulo, e colocará em prática uma rigorosa operação para impedir que palmeirenses seguidores da Mancha Verde e da TUP entrem no estádio com qualquer adereço das facções - o Palmeiras enfrenta o Táchira (VEN) nesta quinta-feira, às 19 horas, pela Libertadores. As duas organizadas travaram uma verdadeira batalha domingo, no mesmo local, antes do clássico com o Santos."Elas não vão afrontar a sociedade, tampouco agir à margem da lei", garantiu o tenente-coronel Marinho, do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar de São Paulo. "Agiremos com rigor se for preciso. Teremos tropas na rua Turiaçu para monitorar o comportamento das duas torcidas antes do jogo." Mancha e TUP se concentram em dois bares na Turiaçu, separados por alguns metros e uma rua. "Nossos homens estarão de prontidão. Inicialmente, seremos 30. E vamos agir se for preciso", repetiu o tenente-coronel Marinho.Segundo o tenente-coronel Marinho, é um jogo para não mais de 80 policiais. Mas em função da briga entre torcedores da TUP e da Mancha Verde no último domingo, o efetivo da PM será reforçado. Serão 120 homens do Batalhão Choque, 40 da Rocam, 30 da 23ª Delegacia de Polícia e alguns mais infiltrados na arquibancada. "O torcedor comum terá tranqüilidade para ver seu time. Estamos falando de um bando de marginais que não chega a 3 mil pessoas ou 10% da capacidade do estádio", revelou o tenente-coronel Marinho.A tolerância com as organizadas chegou ao fim. O tripé formado pela PM, Federação Paulista e Ministério Público está disposto a acabar com as uniformizadas de vez. Por conta da briga do último domingo, que resultou na prisão de 45 pessoas, todas já soltas, torcedores com trajes da Mancha e da TUP estão proibidas de entrar e em qualquer outro estádio sob a administração da FPF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.