Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Pochettino mantém cautela sobre presença de Mbappé no PSG contra Manchester City

Atacante ainda é dúvida para o duelo de volta da semifinal da Liga dos Campeões

Redação, Estadão Conteúdo

03 de maio de 2021 | 16h14

A presença ou não de Kylian Mbappé continua como a grande incógnita do Paris Saint-Germain para o jogo contra o Manchester City nesta terça-feira, às 16h. Em busca de uma vaga na final da Liga dos Campeões, o time francês ainda não sabe se contará com o atacante. Segundo o técnico Mauricio Pochettino, a decisão sobre a escalação do jogador será tomada após o último treinamento.

"Precisamos ver como Kylian Mbappé estará. Ele vai treinar individualmente esta noite para ver se pode estar com o time amanhã. Vamos tomar uma decisão esta noite. O sistema será semelhante ao que estamos usando desde o início: confiando no nosso potencial", afirmou Pochettino em entrevista coletiva nesta segunda-feira, após a chegada da delegação parisiense a Manchester.

Mbappé sofreu uma lesão na panturrilha direita na semana passada. Ele foi visto mancando em vídeo publicado nas redes sociais, mas viajou nesta manhã com o grupo para a Inglaterra e fará tratamento para estar à disposição para o jogo de volta das semifinais da Liga dos Campeões.

O atacante francês é figura central na tentativa de recuperação do PSG dentro da competição. Na ida, os ingleses venceram por 2 a 1, o que obriga a equipe francesa a vencer por dois gols de diferença.

Na partida decisiva, Pochettino entende que a equipe tem ser "cirúrgica e agressiva durante os 90 minutos" para sair com a classificação à segunda final consecutiva. "Temos de encontrar o equilíbrio entre a nossa posse de bola e os contra-ataques, estamos prontos para sofrer em alguns momentos deste jogo", analisou o treinador argentino.

Uma eventual ausência de Mbappé aumenta a pressão sobre Neymar no confronto decisivo. Os dois são responsáveis por 81% dos gols do PSG na temporada. Para substituir o jovem francês, Pochettino tem duas opções no ataque: os italianos Icardi e Kean.

O técnico assegurou que o time parisiense terá de "correr riscos" e ser corajoso na "grande batalha" que terá pela frente em Manchester. Ele considera que há vários fatores determinantes para o PSG conseguir reverter a desvantagem e ir à final.

"Muitos fatores entram em jogo. Acima de tudo, o lado emocional das coisas. Há muitas coisas a serem consideradas. Não é apenas o lado tático do jogo ou a formação que vamos usar. É muito complexo calcular tudo antes de uma partida como esta", opinou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.