Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

Pochettino valoriza elenco do PSG e desconversa sobre interesse em Messi

Técnico argentino se diz satisfeito com as opções que tem no vestiário e evita comentar especulações sobre craque do Barcelona

Redação, Estadão Conteúdo

20 de janeiro de 2021 | 12h37

Contratado pelo Paris Saint-Germain há cerca de um mês, o técnico argentino Mauricio Pochettino está nos últimos dias de seu isolamento por ter tido resultado positivo para a covid-19. Ele prevê que já poderá comandar a equipe do banco de reservas na sexta-feira contra o Montpellier, pelo Campeonato Francês. Nesta quarta, concedeu entrevista à rádio argentina Cadena Sur na qual valorizou o elenco que tem e desconversou sobre um interesse em Lionel Messi, do Barcelona.

"Não sei o que vai acontecer. Escutei essas afirmações e, com toda a sinceridade, não tive tempo de conversar sobre absolutamente nada (envolvendo negociações com Messi). Estamos focados em encontrar a melhor forma de competir, vencer jogos e chegar à Liga dos Campeões nas melhores condições. Muitas vezes, qualquer afirmação ou frase minha como treinador do PSG pode ser mal interpretada. Tenho muito respeito pelos jogadores que tenho na equipe, mas tenho de ter respeito pelos jogadores das outras equipes também", disse Pochettino.

O treinador afirmou ainda que conta com o atacante francês Kylian Mbappé para os próximos anos - o jogador é visto como candidato a se transferir para o Real Madrid na próxima temporada. "O clube está trabalhando e se esforçando para renovar os jogadores que acredita serem importantes. É claro que Mbappé tem um enorme potencial. Que treinador não gostaria de ter Mbappé na sua equipe? Temos uma relação muito boa com ele, que está muito feliz em Paris. Veremos o que acontecerá. Não tenho dúvidas de que ele adora estar em Paris", comentou.

Pochettino relembrou uma frase dita em 2018 sobre a sua rejeição em treinar o Barcelona. Ele mostrou arrependimento por falar à época que "preferia trabalhar em sua granja na Argentina do que treinar o Barcelona".

"Quando falei da granja e do Barça acho que me excedi. As coisas podem ser ditas de outra forma. Tenho amigos que são do Barcelona, mas sou 'periquito' e me parece impossível criar uma identificação com o Barça. Ninguém iria entender", finalizou o argentino, referindo-se à relação dos tempos de jogador com o Espanyol, um dos principais rivais do Barcelona na Espanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.