David Vincent/AP
David Vincent/AP

'Podemos e vamos vencer a Argentina', diz goleiro francês sobre duelo de campeões

Steve Mandanda afirmou que a equipe francesa está tranquila e confiante em vitória no clássico

Estadão Conteúdo

27 Junho 2018 | 21h38

França e Argentina fazem neste sábado, às 11 horas (de Brasília), na Arena Kazan, em Kazan, o primeiro duelo entre campeões mundiais da Copa do Mundo da Rússia. Vale vaga para as quartas de final. O goleiro Steve Mandanda afirmou que a equipe francesa está tranquila e confiante em vitória no clássico.

+ Contra a Sérvia, Neymar foi o Neymar que o Brasil queria

+ Seleção já projeta jogo difícil contra o México nas oitavas de final

+ Aliviado, Tite diz que vai tomar caipirinha para comemorar: 'Hoje eu me permito'

"Temos de estar convencidos de que podemos e vamos vencer contra a Argentina. Hoje eu diria que ambas as equipes estão próximas uma da outra. Nós os conhecemos, jogamos com eles em clubes. E sabemos como lidar com a pressão", disse o arqueiro congolês naturalizado francês, de 33 anos, jogador do Olympique de Marselha.

Ele foi titular na última partida da primeira fase, empate por 0 a 0 contra a Dinamarca, na última terça-feira, em que a França já entrou classificada. Foi uma das seis mudanças do técnico Didier Deschamps em relação ao time base. Tudo para encarar a Argentina com o elenco descansado e com força máxima.

O zagueiro Presnel Kimpembe, que também iniciou o jogo diante dos dinamarqueses, falou sobre o adversário das oitavas de final. Elogiou o sistema ofensivo argentino e criticou a defesa.

 

"Obviamente, seus atacantes são muito perigosos. Messi, Higuain, Aguero e Di Maria. É um nível muito alto de atacantes. Mas eles também mostraram algumas fraquezas defensivas, já que sofreram gols em cada um dos seus três jogos nesta Copa do Mundo. Por isso estamos contando com os nossos atacantes", frisou o defensor de 22 anos, do Paris Saint-Germain, ao confiar nas atuações dos companheiros Griezmann, Mbappé e Dembéle.

Nesta quarta-feira, os jogadores que não atuaram ou entraram poucos minutos contra a Dinamarca fizeram movimentação no centro de treinamento de Istra, onde a França faz a sua preparação neste Mundial. O restante do grupo fez a tradicional atividade regenerativa.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.