Matthias Schrader/AP
Matthias Schrader/AP

'Podemos ser os melhores do mundo', diz técnico da Alemanha

Para Joachim Löw, Brasil é favorito, mas ele acredita que a sua seleção pode surpreender

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2014 | 07h30

SÃO PAULO - O técnico Joachim Löw tem nas mãos uma das gerações mais talentosas da história da Alemanha. A força dos seus jogadores já foi comprovada nos clubes em que eles atuam: Bayern de Munique, Borussia Dortmund, Arsenal, Real Madrid e outras potências da Europa. Faltam a esses atletas, no entanto, títulos pela seleção. Depois da terceira colocação na Copa de 2010 e de cair nas semifinais da Eurocopa de 2012, Löw acredita que chegou a vez de a Alemanha brilhar.

Por isso, nessa entrevista ao Estado o treinador não esconde a ansiedade com a proximidade da Copa. Diz até ser maior do que a expectativa vivida antes do Mundial de 2006, disputado em seu país, quando ele era assistente de Jürgen Klinsmann, hoje no comando da seleção dos Estados Unidos. Löw, que esteve no Brasil ano passado para assistir aos jogos da Copa das Confederações, ficou impressionado com o que viu e espera uma festa ainda maior a partir do dia 12 de junho.

EXPECTATIVA

“Já estive em quatro Copas do Mundo como assistente e como treinador, e todas foram fantásticas. Mas a expectativa para o Mundial no Brasil supera tudo. Acredito que isso ocorra, em parte, porque todos pensamos no Brasil como o país mais identificado com o futebol. Não deve haver coisa melhor do que disputar uma Copa no Brasil.”

COMPARAÇÃO COM 2006

“Disputar uma Copa do Mundo na Alemanha foi muito especial. Admito que houve muito nervosismo antes daquele campeonato, principalmente nos dias que antecederam a abertura. Em março de 2006, perdemos um amistoso para a Itália e isso nos incomodava muito. Só me acalmei, de fato, depois do primeiro jogo. Foi a partir dali que me tornei capaz de lidar com situações de alta pressão e hoje até gosto disso.”

PREPARAÇÃO

“Quanto mais nos aproximamos da Copa, mais calmo eu fico porque sei que pensamos em tudo e tenho muita fé nisso. Estaremos perfeitamente preparados e estou atento para tudo o que nos espera no Brasil. Vamos para uma Copa do Mundo num país que é moldado pelo futebol como nenhuma outra nação. A empolgação é enorme. Vivenciei isso na Copa das Confederações no ano passado. Foi impressionante, e aquilo foi apenas um ensaio. O melhor ainda está por vir. Para mim, é um grande privilégio fazer parte desse evento. O Brasil é um país fantástico.”

ANSIEDADE

“Os jogadores não são imunes ao apelo extraordinário de uma Copa do Mundo e à magia de uma competição dessa magnitude. Isso fica perfeitamente visível quando a seleção se reúne. Todos os jogadores sabem que farão parte de um evento único no Brasil.”

CALOR

“A Copa será extremamente exigente para cada jogador do ponto de vista físico, mas estou muito otimista. As melhores seleções do mundo estarão no Brasil e todas têm bons jogadores, por isso espero um nível muito alto. Tenho muito respeito pelos esforços, conquistas e qualidades de outros países, mas o fato de eles serem bons não significa que não podemos ser melhores do que eles se tudo der certo. Nós teremos de dar nosso máximo e ter consciência do tamanho do desafio que nos espera.”

FAVORITOS

“Minha função não é prever o futuro. A única coisa que posso dizer é que queremos ganhar a Copa, mas não posso dizer que ganharemos. Há muitas seleções boas para eu poder dizer isso. O Brasil jogou soberbamente na Copa das Confederações e é favorito de novo, assim como a Argentina. O fato de a Copa estar sendo disputada na América do Sul é fonte adicional de motivação para as seleções do continente. Espanha, Itália e França também são favoritas, e Inglaterra e Holanda têm muita qualidade.”

PRESSÃO

“Não pensei nisso. Na preparação para a Copa não vou considerar nada de negativo, e viajaremos para o Brasil cheios de confiança e otimismo. Se a Alemanha não for campeã, poderemos sair decepcionados do Mundial, mas isso não significa necessariamente que teremos tido um desempenho decepcionante. A maneira como os jogadores se comportam tanto dentro como fora de campo e a maneira como eles representam nosso país de 80 milhões de habitantes é o mais importante para mim.”

NÍVEL DA COPA

“Vamos testemunhar os melhores jogadores de futebol do mundo se enfrentando no Brasil. Espero ver um futebol de alto nível. O jogo, os atletas e as seleções estão evoluindo constantemente. Uma Copa do Mundo reúne o que há de melhor nesse esporte e é fantástico poder testar as nossas próprias forças contra os melhores do mundo.”

Tudo o que sabemos sobre:
Copa do MundoSeleção alemã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.