Hassan Ammar/AP
Hassan Ammar/AP

Pogba admite ajuda de defensor da Austrália em gol da vitória francesa

Meia revela que zagueiro empurrou bola contra a própria meta no gol da vitória da França por 2 a 1

Estadão Conteúdo

16 Junho 2018 | 13h06

O meio-campista Paul Pogba disse que levou sorte no segundo gol da França na vitória por 2 a 1 sobre a Austrália, neste sábado, em Kazan, pela estreia das duas equipes na Copa do Mundo. O jogador tentava um lance dentro da área após uma sequência de tabelas, quando o lateral-esquerdo Aziz Behich tentou afastar, mas a bola foi contra o gol australiano.

+ França sofre, mas bate Austrália em jogo com uso de tecnologias

+ Saiba mais sobre a tecnologia no futebol e o uso do VAR 

+ Deschamps admite dificuldades da França na estreia e exalta árbitro de vídeo

"Eu realmente fui ajudado pelo defensor", disse o francês após o jogo. "Mas fazer o gol com minha orelha, meu nariz ou meu pé, tanto faz. Desde que a bola entre, tudo bem", afirmou o jogador do Manchester United, que ficou com o gol creditado a ele pela arbitragem da partida.

Depois do desvio de Behich, a bola bateu no travessão e quicou depois da linha final, mas não balançou as redes e saiu da meta defendida por Matthew Ryan. O árbitro uruguaio Andrés Cunha hesitou, mas validou o gol graças à tecnologia do chip, utilizada minutos depois de o VAR já ter sido usado em favor da França, para a marcação do pênalti em Antoine Griezmann, convertido pelo atacante.

O jogador do Atlético de Madrid valorizou a participação de Pogba na partida. "Não esperamos que seja ele a marcar um gol, ele precisa manter a posse de bola e recuperá-la algumas vezes. Ele foi bem na jogada do segundo gol, conseguiu fazer duas tabelas e é isso que esperamos dele", analisou Griezmann, substituído por Olivier Giroud quando o jogo ainda estava 1 a 1.

 

Apesar das críticas sofridas por Pogba no Manchester United, o técnico Didier Deschamps valoriza a presença do meio-campista na seleção da França. "Eu sei como usá-lo. Paul tem muito potencial e sempre se posiciona da melhor forma. Ele se encaixa muito bem no esquema de jogo porque tem liberdade para ir ao ataque, o que não aconteceria se não tivéssemos dois volantes atrás dele", afirmou o treinador, que também escala N'Golo Kanté e Corentin Tolisso no meio de campo formado por três homens.

Com três pontos ganhos, a França agora terá mais dois compromissos no Grupo C antes do fim da primeira fase do Mundial. A seleção treinada por Deschamps vai jogar contra o Peru, ao meio-dia (de Brasília) do dia 21, em Ecaterimburgo, e a Dinamarca, às 11 horas (de Brasília) do dia 26, no estádio Luzhniki, em Moscou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.