Polêmica sobre destino da taça das bolinhas prossegue

A polêmica sobre a taça das bolinhas, pelo visto, está longe do fim. Num verdadeiro jogo de empurra-empurra, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o Clube dos 13 se esquivam e não dizem se o troféu será entregue para o São Paulo ou para o Flamengo. A taça das bolinhas deveria ser repassada em definitivo para o primeiro pentacampeão brasileiro ou para quem conquistasse o título da competição por três anos consecutivos. A CBF diz que só depende de um comunicado do Clube dos 13 para definir o destino do troféu, guardado até hoje nos cofres da Caixa Econômica Federal, no centro do Rio.Já o Clube dos 13 não quer se envolver na polêmica. "Já enviei dois faxes à CBF. Um em 1997 e outro no ano passado. Não podemos declarar esse ou aquele clube merecedor da taça das bolinhas. Isso só cabe à organizadora do Campeonato Brasileiro. É a CBF quem tem de decidir", disse ontem o presidente do Clube dos 13, Fabio Koff, durante o Footecon, fórum de futebol realizado no Riocentro. Pessoas ligadas ao Clube dos 13 garantem que existe um documento na entidade, assinado em 1997 pelo atual presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, que reconhece o Flamengo como o primeiro pentacampeão brasileiro. "Somos a favor que os dois clubes se entendam. Na última segunda-feira, o Juvenal Juvêncio brincou comigo dizendo que tinha mandado fazer duas taças das bolinhas, um para o São Paulo e outra para o Flamengo. Talvez essa seja a solução", declarou Koff.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.