Clodagh Kilcoyne/Reuters
Clodagh Kilcoyne/Reuters

Polêmico atacante dinamarquês é condenado a 50 dias de prisão por bater em taxista

Niklas Bendtner admite a agressão, mas diz que agiu em legítima defesa depois de uma briga relacionada ao valor da tarifa

Estadão Conteúdo

21 de novembro de 2018 | 14h10

Niklas Bendtner, atacante da seleção da Dinamarca, terá de cumprir uma sentença de 50 dias de prisão. No início deste mês, o jogador foi considerado culpado por espancar e chutar um taxista em Copenhague, capital dinamarquesa, em 9 de setembro.

O atleta dinamarquês, de 30 anos, admitiu ter feito a agressão, mas disse que ele tinha agido em legítima defesa depois de uma briga relacionada ao valor da tarifa cobrada pelo motorista do táxi.

Bendtner foi condenado a 50 dias de prisão e multado em 1.500 coroas dinamarquesa (cerca de R$ 867). O promotor público de Copenhague escreveu no Twitter que considerou este "o veredicto final" do caso, pois Bendtner retirou seu recurso da Justiça. Não foi revelado quando ele vai iniciar o cumprimento de sua pena.

O ex-atacante do Arsenal e da Juventus e atual jogador do norueguês Rosenborg não é selecionado para integrar a seleção desde 2015 por estar em má fase física e técnica.

Bendtner atuou por dez temporadas (2006 a 2015) pela Dinamarca e disputou 67 jogos pela equipe nacional, com 29 gols marcados. Em maio de 2012, o atacante fez o gol na derrota para o Brasil, por 3 a 1, em Hamburgo, na Alemanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.