Polícia alemã garante a segurança da seleção do Irã

A polícia alemã garantiu nesta sexta-feira que não há motivos para que a seleção iraniana se preocupe com a sua segurança no período em que ficará concentrada em Friedrichshafen, no sul da Alemanha. Apesar disso, não estão descartados protestos de partidários da ultradireita alemã, contrários à postura anti-semita adotada pelo presidente iraniano Mahmud Ahmadineyad.Até o momento, no entanto, de acordo com a polícia, nenhum grupo, nem de direita nem de esquerda, pediu autorização para realizar qualquer tipo de manifestação na região onde os jogadores iranianos estarão concentrados.Porém, nas cidades onde o Irã vai jogar a situação deve ser diferente. Alguns partidários da ultradireita têm anunciado que vão realizar manifestações nos arredores dos estádios onde a equipe vai disputar as partidas da Copa, especialmente em Leipzig, local onde o Irã enfrenta, no dia 21 de junho, a seleção de Angola. Autoridades alemãs estão preocupadas que esses protestos se tornem violentos.Javad Dabiran, representante do Conselho Nacional da Resistência Iraniana, com sede na Alemanha, em reunião com autoridades alemãs, procurou amenizar a situação. Dabiran afirmou que a Copa não deve ser usada para fins políticos e que os protestos, se acontecerem, serão pacíficos. A seleção do Irã está no grupo D do Mundial e na primeira fase enfrentará as equipes do México, Portugal e Angola. A estréia será contra os mexicanos, no dia 11, em Nuremberg.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.