Polícia Civil abre investigação após morte de torcedor do Botafogo no Rio

Polícia Civil abre investigação após morte de torcedor do Botafogo no Rio

Confusão entre torcedores aconteceu depois do clássico contra o Flamengo, no Engenhão

Constança Rezende, Estadao Conteudo

13 Fevereiro 2017 | 15h22

A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) abriu um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Diego Silva dos Santos, de 28 anos, depois do clássico entre Botafogo e Flamengo, no domingo, no Engenhão, na zona norte do Rio de Janeiro. A Polícia Civil informou que vai analisar câmeras ao redor do estádio.

Outras sete pessoas também ficaram feridas em decorrências de tiros e agressões. Uma ainda está internada em estado grave, no Hospital Salgado Filho. "Foi realizada a perícia no local e iniciou-se um amplo trabalho de investigação visando apurar detalhadamente as circunstância do crime e sua autoria", informou, em nota, a assessoria da Polícia Civil.

Testemunhas disseram que o rapaz foi baleado por homens que passaram em um carro e atiraram contra os torcedores. O Botafogo havia pedido o adiamento da partida por temer a falta de segurança na área externa do estádio, em decorrência dos bloqueios feitos por mulheres de PMs no Estado nas portas dos batalhões.

Mais conteúdo sobre:
futebol Flamengo Botafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.