Reprodução/ Globo
Reprodução/ Globo

Polícia confirma que cinco torcedores foram detidos após confusão em Santos e Corinthians

Clube da Vila Belmiro pode levar punição pesada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e perder até dez mandos de campo após tentativa de agressão ao goleiro Cássio

Redação, Estadão Conteúdo

14 de julho de 2022 | 13h21

A Secretaria de Segurança Pública informou nesta quinta-feira que cinco pessoas foram detidas após a confusão ocorrida no fim do jogo entre Santos e Corinthians, quarta-feira à noite, na Vila Belmiro, pelo duelo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. O goleiro corintiano Cássio chegou a ser agredido no gramado por um torcedor santista. Houve invasão.

"Cinco homens, com idades entre 20 e 33 anos, foram detidos após uma confusão no campo de um estádio de futebol, por volta das 23h09, de quarta-feira (13), no bairro Vila Belmiro, em Santos, litoral paulista. Os autores foram conduzidos ao plantão judiciário da 6ª Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DRADE), onde foi registrado um Termo Circunstanciado como promover tumulto. O caso e os autores foram encaminhados ao Juizado Especial Criminal (JECRIM)", informou o comunicado. Os torcedores, na sequência, foram liberados.

Ainda com a bola rolando, muitos sinalizadores foram acesos e atirados a campo onde Cássio estava. Ao apito final, ainda houve diversas invasões ao gramado e o goleiro do Corinthians foi agredido covardemente pelas costas. O Santos pode levar punição pesada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e perder até dez mandos de campo.

A Polícia Militar e os seguranças espalhados pela Vila Belmiro tiveram enorme trabalho. Enquanto tentavam proteger os atletas do time visitante, sofriam para conter a invasão ao gramado que ocorria de todos os lados. Clássicos no Estado de São Paulo são disputados com torcida única.

Cássio foi alvo da ira dos santistas por ameaçar deixar o campo no momento em que bombas eram estouradas no entorno do estádio e os sinalizadores eram atirados para a área onde defendia o Corinthians. Era um lance de falta já depois dos 40 minutos e, como líder do time, o goleiro pediu para a equipe deixar o gramado.

Os corintianos foram até a beirada do campo, enquanto o preparador de goleiros Arzul e mais alguns funcionários do Santos pediam calma aos torcedores. Jogadores ainda tentaram apagar os sinalizadores no gramado. Cássio conversou com o zagueiro Maicon antes de retornar ao gramado, com a promessa de segurança.

A bola rolou normalmente até o apito final, quando os santistas invadiram o gramado por todos os lados. Queriam briga, sobretudo com os jogadores corintianos. Depois da agressão a Cássio, os seguranças corintianos protegeram os demais atletas do clube, levando-os rapidamente aos vestiários.

Assustados, os jogadores do Santos também demoraram para deixar o gramado da Vila Belmiro. O vestiário da equipe fica embaixo da arquibancada onde estavam as torcidas organizadas que acenderam os sinalizadores, já temendo que houvesse a mesma tentativa de invasão do local ocorrida dias atrás após a eliminação na Copa sul-americana.

O árbitro da partida, Jean Pierre Gonçalves Lima, relatou o episódio na súmula da partida. "Um desses torcedores conseguiu agredir o atleta do Corinthians, Sr. Cássio Ramos, número 12, com um pontapé em sua perna. Foi necessária a intervenção da Polícia Militar, a equipe do Corinthians teve que deixar o campo às pressas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.