AS Roma / Divulgação
AS Roma / Divulgação

Polícia da Itália prende 9 pessoas por corrupção em construção do estádio da Roma

Projeto previa que obras fossem concluídas em 2016, mas está paralisado por falta de financiamento e questões ambientais

Estadão Conteúdo

13 Junho 2018 | 10h06

Autoridades da Itália prenderam nesta quarta-feira nove pessoas por suspeita de corrupção na construção do novo estádio da Roma, na capital italiana. A detenção deve adiar ainda mais a entrega da arena, que era esperada para ficar pronta para a temporada 2016/2017 do futebol europeu.

Clube sueco encerra contrato de jogador condenado por estupro

+ Ex-diretor do Dínamo Zagreb é condenado a seis anos e meio de prisão

Entre os presos estão Luca Parnassi, principal responsável pela construção, e seis dos seus colegas de trabalho. A prefeita da cidade, Virginia Raggi, afirmou que "aqueles que erraram vão pagar". "Nós apoiamos a legalidade", avisou ela. Segundo o procurador do caso, nenhum dirigente da Roma está sob suspeita nas investigações.

As prisões devem atrasar ainda mais a construção do estádio, cujo projeto foi anunciado em março de 2014, pelo presidente do clube, James Pallotta. A meta inicial era de que a arena ficasse pronta até a metade de 2016.

No entanto, as obras ficaram paralisadas por meses por questões ambientais e também em razão de críticas pelo apoio de financiamento público. O novo e grandioso projeto do estádio da Roma inclui um centro de treinamento, um complexo de entretenimento e até um espaço para escritórios.

 
Mais conteúdo sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.