Polícia Federal investiga o Paysandu

Acusado de sonegação fiscal e de subfaturar salários de jogadores que contrata para burlar o recolhimento de contribuições ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), o Paysandu está sendo investigado pela Polícia Federal. Os agentes da PF, inclusive, estiveram nesta quarta-feira na sede e no estádio do clube paraense para recolher documentos e computadores.Durante a operação policial, os 12 agentes da PF estavam acompanhados por 3 fiscais do INSS e cumpriam mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal de Belém. Segundo o INSS, desde o começo do ano a diretoria do Paysandu vem se negando a repassar informações a respeito de contratos assinados pelos jogadores. Além disso, o clube já deve cerca de R$ 700 mil para a Previdência. Uma das suspeitas recai sobre o salário de Robson, ídolo da torcida e artilheiro do time do Campeonato Brasileiro. Ele estaria recebendo R$ 25 mil, mas no contrato só aparece R$ 3 mil. Mas o INSS acredita que esse não é o único caso."Eu estava no Mangueirão, acompanhando o treino do time para o jogo de sábado contra o Cruzeiro, quando me informaram da operação da PF. Mandei que entregassem documentos e computadores do clube para eles examinarem", contou o presidente do Paysandu, José Arthur Tourinho, que também é deputado estadual pelo PMDB. Ele garantiu que não há nada de irregular com os contratos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.