Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Polícia Militar pede mudança na data de Bragantino x Corinthians no Pacaembu

PM aponta risco de confronto entre torcidas da equipe alvinegra e do São Paulo, que joga no ABC à tarde

Ciro Campos, Daniel Batista e Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

13 Março 2018 | 19h17

A Polícia Militar do Estado de São Paulo enviou nesta terça à Federação Paulista de Futebol (FPF) uma solicitação para que o jogo entre Bragantino e Corinthians, marcado para o próximo domingo, às 11h, no estádio do Pacaembu, tenha sua data alterada. A data e horário foram definidos em congresso técnico na sede da FPF na manhã desta terça.

Com ida e volta do Corinthians na capital, federação define quartas do Paulistão

A PM aponta o risco de confronto após o jogo entre torcedores do Corinthians e do São Paulo, que devem se deslocar para São Caetano no início da tarde, onde o time tricolor enfrenta a equipe local às 16h, também pelas quartas do Estadual. Uma corrida de rua próxima ao estádio municipal, na manhã de domingo, também é usada como argumento pela PM para pedir a alteração.

A FPF está em contato com a Polícia Militar e ainda não confirma as mudanças. O Corinthians ainda não foi notificado do pedido de alteração, mas informou que respeitará a decisão da federação. 

Apesar de não ter participado da reunião que definiu as datas e horários, a PM tem poder de vetar a realização da partida. De acordo com o artigo 6º do regulamento do Paulistão, quando mais de dois times da capital se classificam para as quartas, a indicação é de que apenas dois joguem na cidade de São Paulo - salvo com autorização policial. A decisão de jogar no Pacaembu foi do Bragantino.

Outra alteração nos jogos das quartas vai acontecer com a partida de volta da chave do Palmeiras. O duelo contra o Novorizontino no Allianz Parque não poderá ser realizado na arena alviverde por causa de um evento corporativo previamente agendado. O jogo também será realizado no Pacaembu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.