Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Polícia Militar se organiza com 200 homens para fazer policiamento do Pacaembu

Ameaça de 'invasão corintiana' na Praça Charles Miller fez PM se reunir com torcida organizada

O Estado de S. Paulo,

26 de fevereiro de 2013 | 15h30

SÃO PAULO - Após a decisão da Conmebol de punir o Corinthians ter sido mantida, a Polícia Militar do Estado de São Paulo fez uma reunião para definir o plano de segurança do jogo entre Corinthians e Millonarios, pela Copa Libertadores, marcado para quarta-feira, às 22h, no Pacaembu. E ficou decidido que a mesma equipe que seria usada para proteger o interior do estádio será empregada no policiamento externo. Cerca de 200 polociais estarão trabalhando no Paulo Machado de Carvalho. 

Para a PM, a medida se torna necessária devido ao grande número de pessoas que prometem comparecer à praça Charles Miller para dar apoio ao time do Corinthians, mesmo impedidas de entrar no estádio. Os torcedores chegaram até a organizar um evento nas redes sociais, chamado de "Invasão Praça Charles Miller".

Apesar da demonstração de apoio da torcida, o Corinthians pediu, em nota oficial divulgada no site do clube, que os torcedores não compareçam ao Pacaembu. A Gaviões da Fiel, principal organizada do Corinthians, participou da reunião com a PM e avisou que vai se concentrar em sua sede, no Bom Retiro, para assistir ao jogo por um telão.

PUNIÇÃO

O Corinthians foi punido pela Conmebol após um torcedor disparar um sinalizador naval no estádio Jesús Bermúdez, na Bolívia, durante o jogo contra o San José na última quarta-feira. A entidade decidiu que o Corinthians deverá jogar sem a presença de sua torcida nos próximos jogos da Copa Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.