Guido Kirchner/AP
Guido Kirchner/AP

Polícia muda rota de ônibus de Real e Bayern e reforça segurança em estádio do Dortmund

Mochilas estão proibidas na partida entre o time alemão e o Monaco

O Estado de S. Paulo com EFE

12 de abril de 2017 | 09h45

Após a explosão próxima ao ônibus do Borussia Dortmund, a polícia alemã tentará proteger os jogadores de Real Madrid de Bayern de Munique, que serão levados à Allianz Arena nesta quarta-feira para o jogo da Liga dos Campeões por uma rota diferente de deslocamento. 

O clima de alerta também ronda o jogo do Borussia Dortmund, que foi adiado para esta quarta-feira. A polícia reforçou as medidas de segurança no estádio do clube alemão para o jogo da Liga de Campeões contra o Monaco após ataque contra ônibus dos jogadores.

Em um comunicado, o clube informou que a polícia ordenou a proibição das mochilas e explicou que não haverá guarda-volumes, então, quem chegar com o acessório não poderá entrar no estádio. O Borussia e a polícia pediram também aos torcedores que cheguem com antecedência ao estádio, já que os controles na entrada serão mais rígidos que o habitual.

A polícia continua investigando a autoria do ataque registrado na terça-feira, quando três artefatos explodiram durante a passagem do ônibus do Borussia Dortmund no momento em que a equipe saía do hotel rumo ao estádio para enfrentar o Monaco.

O único jogador ferido foi o espanhol Marc Bartra, operado na terça à noite em um hospital de Dortmund com fratura no punho direito e ferimentos por estilhaços, segundo as informações oferecidas pelo clube. Um policial que fazia a escolta do ônibus em uma moto também ficou ferido pelos estilhaços das explosões.

A polícia investiga se o incidente tem relação com o terrorismo depois de encontrar no local uma carta solicitando a retirada da missão militar alemã na Síria, mas não descarta também que o texto possa ser uma pista falsa, segundo informações do jornal Süddeutsche Zeitung e das emissoras regionais NDR e WDR. A investigação foi assumida pela Promotoria Federal da Alemanha.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.