Renato S. Cerqueira/Futura Press
Renato S. Cerqueira/Futura Press

Polícia ouve nesta sexta-feira último depoimento do caso Neymar

A advogada Yasmin Abdalla será ouvida na Delegacia da Mulher; prazo final do inquérito é segunda-feira

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2019 | 04h30

A Polícia Civil de São Paulo ouve nesta sexta-feira o último depoimento no inquérito que investiga a acusação de estupro da modelo Najila Trindade contra o atacante Neymar. A advogada Yasmim Abdalla será ouvida à tarde na 6.ª Delegacia de Defesa da Mulher. Se não houver novos fatos, a polícia encerra nesta sexta a fase de depoimentos. 

Yasmin não se apresentou oficialmente como advogada de Najila, mas esteve no caso ao lado de Danilo Garcia, o segundo advogado da modelo. Um dos questionamentos dos investigadores vai abordar o sumiço do celular de Najila. Na visão dos investigadores, o aparelho é importante, pois teria imagens do segundo encontro entre Neymar e a modelo em Paris. Najila diz que perdeu o celular, mas não registrou Boletim de Ocorrência e não pediu o bloqueio da linha. 

Na segunda-feira termina o prazo para a conclusão do inquérito ou para solicitação de um tempo maior de apuração. A tendência é que o relatório final seja concluído nesse dia. A partir daí, o documento será encaminhado ao Ministério Público, que pode denunciar (fazer acusação formal contra o jogador), pedir o arquivamento ou requisitar novas diligências. A promotoria tem 15 dias para decidir. O arquivamento significa, na prática, o fim do caso. Najila poderá pedir a reabertura desde que apresente novas provas. 

Se o MP oferecer uma denúncia, o juiz passa a analisar o pedido. Aí, começa o processo: Neymar apresentaria sua defesa. Mesmo que se torne réu, ele não fica impedido de sair do País. Ao final, o juiz sentencia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.