Polícia prende dois e procura foragido

O delegado Luís Carlos Patrício Nascimento, do 1.º Distrito Policial de Campinas, revelou agora nesta segunda-feira à noite os nomes dos dois acusados da morte do torcedor Anderson Ferreira Thomás, o Conde, da Torcida Jovem da Ponte Preta, ao lado do Estádio Majestoso. Rubens Gomes de Melo, de 25 anos, e Antônio Maria da Silva, de 35, foram indiciados por homicídio duplamente qualificado e foram encaminhados para uma cadeia pública. Segundo o delegado, o crime foi cometido por motivo fútil e de forma que não deu direito de defesa à vítima.Ambos são membros da Torcida Independente de São Paulo, e foram presos numa sub-sede localizada no centro de Campinas. O presidente da facção, Marcos Paulo Moraes, conhecido como Fofo, foi reconhecido por testemunhas como um dos assassinos e também foi indiciado, mas está foragido. Após a briga no estádio, a Polícia Militar seguiu até a sede da torcida, onde prendeu sete pessoas, além de paus, pedras e entorpecentes.Provocação e terror - A briga também parece esclarecida. Segundo um segurança, Conde estaria num barranco, ao lado da linha do trem da Fepasa que passa atrás do Majestoso, com um pedaço de ferro nas mãos quando provocou um grupo de torcedores são-paulinos que comprava ingressos. Torcedores e testemunhas, formada por vizinhos, confirmaram que Conde estava visivelmente alcoolizado e que viram verdadeiras cenas de terror.Ao ser perseguido, Conde caiu na rua lateral ao estádio, que fica cerca de 50 metros distante da sede da Torcida Jovem. Ali ele foi espancado até a morte, sem dó de seus agressores. Segundo uma das testemunhas, mesmo desmaiado no chão, Conde continuou apanhando, com golpes de paus e ferro na cabeça.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2005 | 21h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.