Polícia prende homens que deram golpe no Getafe

Sete pessoas que supostamente representavam investidores de Dubai e do Egito interessados em investir em empresas e no futebol foram presas depois que cheques depositados por eles em transação com o Getafe, da primeira divisão espanhola, não tinham fundos. Seis dos sete detidos são espanhóis e o outro é dominicano, informou a polícia.

AE-AP, Agência Estado

27 de junho de 2012 | 12h26

A Polícia da Catalunha explicou que antes da realização do suposto investimento, os detidos pediam para que fosse depositado dinheiro em uma conta bancária como "garantia". Em seguida, retiravam o valor e o envolvido no negócio não recebia nada. A polícia não revelou quanto o Getafe e outras empresas perderam.

O presidente do clube, Angel Torres, assinou acordos por 10 milhões de euros, mas os dois cheques que recebeu não tinham fundos, de acordo com a polícia. As autoridades disseram que os golpistas pagaram a um brasileiro, que trabalhava como garçom, para que se passasse por um xeque árabe em reunião com as vítimas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGetafegolpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.