Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Polícia prende suspeitos que queriam invadir o Maracanã para ver Flamengo x Grêmio

Grupo também pretendia vender ingressos falsos e praticar roubos em torno do estádio no Rio

Marcio Dolzan/RIO, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2019 | 08h54
Atualizado 22 de outubro de 2019 | 14h09

A Polícia Civil do Rio realiza uma operação nesta terça-feira para prender suspeitos que planejavam invadir o estádio do Maracanã na partida entre Flamengo e Grêmio, marcada para a noite desta quarta-feira e válida pela semifinal da Copa Libertadores da América. Até o início da tarde, 19 pessoas já haviam sido presas. Segundo as investigações, os suspeitos estavam se articulando para invadir o estádio, vender ingressos falsos e praticar roubos na região do Maracanã.

No total, a operação visa cumprir 27 mandados de prisão. Trata-se de um trabalho de inteligência da polícia com o monitoramento de suspeitos. Há ainda 89 intimações do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos para que envolvidos não se aproximem do Maracanã nesta quarta. Flamengo e Grêmio começa às 21h30.

Enquanto ocorria a operação, um homem foi baleado na favela do Jacarezinho e acabou morrendo, mas ainda não é possível relacionar os dois casos. A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) instaurou inquérito para apurar as circunstâncias.

A ação da polícia do Rio conta com pelo menos 100 agentes. Além do Grande Rio, eles estão atuando em cidades da Baixada Fluminense e das Regiões Serrana e dos Lagos. De acordo com a polícia, os suspeitos são investigados por formação de quadrilha. 

Não é a primeira que vez que torcedores do Flamengo se envolvem em confusão antes de um jogo decisivo. Na final da Copa Sul-Americana de 2017 contra o Independiente, da Argentina,  o lado de fora do Maracanã se transformou em palco de guerra. Torcedores tentaram forçar a entrada no estádio e entraram em confronto com a polícia. Na ocasião, o clube decidiu acabar com o plano de sócio-torcedor coorporativo, que abrigava basicamente torcidas organizadas.

Em abril, antes do confronto com o Peñarol pela fase de grupos da Libertadores, torcedores dos dois clubes se envolveram em briga no Leme, bairro da zona sul do Rio de Janeiro. Os vídeos da confusão circularam pelas redes sociais e dezenas de uruguaios foram detidos pela Polícia Militar. Um torcedor do Flamengo foi levado para o hospital após ficar gravemente ferido.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.