Polícia prende três por roubo na Federação Mineira

A polícia mineira prendeu no fim da noite desta quarta-feira três suspeitos pelo roubo de quase R$ 1 milhão da sede da Federação Mineira de Futebol (FMF), no bairro Barro Preto, região central de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, cerca de R$ 363 mil foram recuperados e outros cinco suspeitos de participação no crime permanecem foragidos.

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

26 de março de 2009 | 15h00

Os maços de dinheiro, em notas de R$ 50 e R$ 100, foram encontrados em uma residência e em uma oficina mecânica no bairro Diamante, após uma denúncia anônima. Na casa, foram presos Raimundo Nonato José de Freitas, de 25 anos, seu irmão adotivo, Lucas Henrique dos Santos, de 20, e Paulo Vitor Siqueira Romão, de 22 anos.

A Polícia Civil, os jovens confessaram a participação no roubo, ocorrido na madrugada de terça para quarta-feira. A FMF suspeita do envolvimento de "pessoas de dentro da Federação" com a ação criminosa. Dois homens teriam se escondido no prédio durante as sessões do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Após a reunião, eles renderam o vigia e o obrigaram a liberar a entrada para um terceiro assaltante, que estava de posse de um maçarico, usado para abrir o cofre da tesouraria. Dois carros que teriam sido usados na fuga foram apreendidos.

O presidente da FMF, Paulo Schettino, alega que o montante levado - segundo ele, "entre R$ 900 mil e R$ 1 milhão" - não estava guardado em um banco para que não fosse alvo de penhora eletrônica pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em razão de antigas dívidas trabalhistas da entidade. A questão chamou a atenção do promotor criminal Joaquim Miranda, do Ministério Público Estadual (MPE), que vai convocar Schettino para explicar o procedimento e requisitar documentação para apurar um possível crime de sonegação de pendências previdenciárias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.