Werther Santana| Estadão
Werther Santana| Estadão

Polícia realiza mandados de prisão em organizadas de SP

Ação ocorre na capital, Baixada Santista, Campinas e Guarulhos

Rafael Pezzo e Werther Santana, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2016 | 07h56

A Polícia Civil de São Paulo cumpriu, na manhã desta sexta-feira, 98 mandados judiciais, entre prisões e buscas, nas sedes das Torcidas Organizadas do Estado de São Paulo na "Operação Cartão Vermelho", contra torcedores envolvidos em brigas em 3 de abril, data do último clássico entre Palmeiras e Corinthians. Entre as agremiações atingidas estão a Gaviões da Fiel e Pavilhão 9, do alvinegro, e a palmeirense Mancha Alvi Verde.

Segundo a corporação, são 37 mandados de prisão e outros 31 de busca e apreensão. Para a ação, foram deslocados mais de 200 oficiais e 100 viaturas em São Paulo, Guarulhos, Santos, Campinas e outros municípios da região metropolitana. A pedido do secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, a Secretaria da Fazenda está auxiliando a operação com equipes de fiscalização contábil nas torcidas organizadas. É a primeira vez que a polícia faz esse trabalho com batidas simultâneas em todas as sedes das torcidas.

A ação, que começou por volta das 5h30 da manhã, já encaminhou mais de 20 torcedores à sede da Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), no centro de São Paulo. Cerca de seis viaturas chegaram à sede da Mancha Alvi Verde, vizinha ao Allianz Parque, no bairro de Perdizes, em São Paulo antes das seis horas da manhã. 

Entre os corintianos presos está Helder Alves Martins, um dos torcedores envolvidos na morte do menino Kevin Espada, na Bolívia, em jogo da Copa Libertadores de 2013. Na ocasião, ele era menor de idade e assumiu a culpa pelo disparo do sinalizador que atingiu o garoto boliviano. 

Martins esteve relacionado a confronto com três palmeirenses na Av. Dr. Arnaldo, logo após o final do clássico entre Palmeiras e Corinthians, no Pacaembu, em 3 de abril. No mesmo dia, outra briga entre as duas torcidas, em São Miguel Paulista, na Zona Leste, resultou na morte de José Sinval Batista de Carvalho, de 53 anos. A vítima não era ligada a nenhuma das torcidas.

A Gaviões da Fiel já havia marcado um protesto no Vale do Anhangabaú justamente para a tarde desta sexta-feira. Entre as pautas da manifestação, divulgada em evento em uma rede social, estão a "denúncia da perseguição política" à agremiação, "repúdio à medida autoritária de torcida única nos estádios de São Paulo, pelo diálogo e medidas preventivas efetivas para acabar com a violência", "transparência da Federação Paulista e Confederação Brasileira de Futebol" e "punição aos ladrões de merenda."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.