Alexandre Lops/Divulgação
Alexandre Lops/Divulgação

Polícia recua e desiste de torcida única no Gre-Nal

Reunião na secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul acabou com a determinação

AE, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 20h41

PORTO ALEGRE - Uma reunião realizada na tarde desta quarta-feira, na Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, acabou com a determinação da polícia de ter torcida única no Gre-Nal de domingo. Assim, os torcedores do Inter terão acesso à Arena do Grêmio para poder acompanhar o clássico válido pela 11ª rodada do Brasileirão.

Por questões de segurança, principalmente no acesso dos torcedores do Inter ao estádio do Grêmio, a Brigada Militar tinha determinado na terça-feira que o Gre-Nal de número 397 seria o primeiro da história com torcida única. A decisão da polícia desagradou os dirigentes dos dois clubes, que tentaram, então, contornar a situação.

Na reunião desta quarta-feira, compareceram os presidentes dos dois clubes, Giovanni Luigi (Inter) e Fábio Koff (Grêmio), o secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Airton Michels, o Comandante do Policiamento da Capital, João Diniz Godoy, e o Subcomandante Geral da Brigada Militar, Silanus Mello. E houve um entendimento.

Assim, os torcedores do Inter terão direito a 1,5 mil ingressos para o clássico de domingo, sendo que o clube será responsável por eventuais estragos que sua torcida fizer no estádio gremista. E, para facilitar o esquema de segurança no acesso ao local, eles terão que partir de dois pontos específicos, o Beira-Rio e a Igreja dos Navegantes, para chegar à Arena do Grêmio em ônibus escoltados pela Brigada Militar. E, ao final do jogo, terão que esperar 1 hora e 30 minutos para poder ir embora.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoGrêmioInter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.