Polícia teve trabalho antes do clássico

O clássico entre São Paulo Corinthians não foi dos mais tranqüilos fora de campo, mas dessa vez as Polícias Militar e Civil mostraram mais entrosamento e, com alguma luta, ganharam a batalha contra os baderneiros. A Polícia Militar teve trabalho, principalmente, para conter os torcedores das duas equipes que entraram em confronto na Praça Roberto Gomes Pedrosa minutos antes de a partida começar. Pelo menos quatro pessoas foram encaminhadas ao Juizado Especial Criminal (Jecrim): duas por tumulto, outra por porte de faca e uma quarta por porte de entorpecentes. Até uma hora após a partida ninguém tinha sido julgado.Mas, segundo o comandante do 2.º Batalhão de Choque, coronel Luís Serpa, as ocorrências não pararam por aí. "Uma de nossas equipes abordou um grupo de 12 integrantes da Torcida Independente de São Carlos que soltavam rojões na Rua Jules Rimet. Na revista da van que trouxe os torcedores, encontramos uma faca e mais duas armas de fogo." Segundo o comandante, o grupo foi levado para o 34.º Distrito Policial.O efetivo policial em ação era respeitável. Além dos 321 homens da Polícia Militar, duas delegacias da Polícia Civil, uma chefiada pela delegada Margareth Garcia e outra pelo delegado Fernando de Paula estavam de plantão. Ao contrário do clássico entre Corinthians e Palmeiras, quando a ausência de kits de perícia retardou os trabalhos, o Instituto de Criminalística esteve presente. Assim, o juiz Enio Godoy pôde avaliar os três casos.Curtindo o feriado - Apesar do risco de confusão, muita gente aproveitou o feriado da Independência para assistir ao clássico. O casal Márcio e Milena Rodrigues, os dois são-paulinos, não percebeu os distúrbios fora do Morumbi. "A gente não vem no estádio faz um tempo. Aproveitamos o dia de folga para apoiar o tricolor. Pena que o tempo não ajudou, está frio", afirmou Márcio.Outro que gostou de acompanhar o clássico foi Jeremias Santana, segurança da escola de futebol filiada ao São Paulo, a Center Butantã. Segundo Santana, os meninos assistem a quase todos os jogos do São Paulo e costumam dar sorte. "Acho que o São Paulo tem melhores jogadores do que o Corinthians, apesar desse tal de quadrado mágico", analisou. Sobre o jogo, Santana arriscou um palpite. "Vai ser 2 a 1, com dois de Amoroso." Ao final, não acertou o placar, mas saiu do estádio feliz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.