Polícia uruguaia define jogo com Argentina como de 'alto risco'

Controles começam já na fronteira entre os dois países, passando pela rodoviária de Montevidéu e arredores

EFE

12 de outubro de 2009 | 14h44

A Polícia uruguaia prepara um esquema de segurança especial para o jogo de quarta com a Argentina em Montevidéu pelas Eliminatórias, considerado de "alto risco".

Veja também:

linkUruguai disponibiliza poucos ingressos para argentinos

especialMAPA - Os países que já garantiram vaga na Copa

Eliminatórias da Copa - tabela Classificação | lista Tabela 

especial ELIMINATÓRIAS - Mais no canal especial

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O chefe de Polícia da capital uruguaia, Alberto Toscanini, fará uma reunião para definir os detalhes do plano para o jogo, que dará ao vencedor uma vaga na Copa de 2010.

Os controles começarão já na fronteira entre os dois países, passando pela rodoviária de Montevidéu e arredores. Policiais no Estádio Centenário também farão revistas minuciosas - principalmente no setor onde ficará a torcida adversária.

A seleção uruguaia ocupa a quinta posição nas Eliminatórias com 24 pontos, um a menos que a Argentina. Quem vencer leva a quarta e última vaga direta - as outras são de Brasil, Paraguai e Bolívia.

Já aos argentinos basta um empate para assegurar a classificação sempre, mas torcendo contra o Equador, que pega o Chile em Santiago.

Nesta segunda-feira o Uruguai trabalhou com portões fechados no centro de treinamento da seleção, perto de Montevidéu. Foi a primeira vez que o técnico Óscar Tabárez proibiu a presença da imprensa em todas as Eliminatórias.

Segundo explicação da federação local de futebol à Agência Efe, as justificativas são o pouco tempo de treinos e a necessidade de preparar algo diferente.

Embora Tabárez ainda não tenha dado pistas sobre a escalação, é provável que repita a equipe que começou jogando na vitória de 2 a 1 sobre o Equador do último sábado, em Quito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.