Polícia veta telão fora do Morumbi

O coronel Luiz Serpa, comandante do Segundo Batalhão de Choque da PM, negou o pedido do São Paulo, que pretendia instalar um telão do lado de fora do Morumbi para que torcedores vissem o jogo de quinta-feira, a final da Copa Libertadores entre São Paulo e Atlético Paranaense."Já imaginou cinco mil torcedores sem ingresso na porta do estádio? Sairia briga, invasão, tumulto. Lógico que proibi! Na Europa é assim, os torcedores que não tem ingresso ficam a dois quilômetros do estádio", justificou-se Serpa.Foi o presidente do São Paulo, Marcelo Portugal, quem pediu à empresa Alphavision (responsável pelo telão) para que virasse o equipamento na direção da rua. Serviço inútil.Segundo o coronel, haverá reforço para a finalíssima. Nos clássicos, o número de policiais chega a 300. No jogo de quinta, o "número está próximo do dobro." Ainda faltam fechar alguns detalhes.Outra preocupação da PM é a ?praça de alimentação? - o comércio de ambulantes - em frente à Praça Roberto Gomes Pedrosa. "Vou mexer na praça de alimentação. As barracas não serão removidas, não posso antecipar nosso esquema. Elas terão mais atenção", diz.Os 30 ônibus dos torcedores do Atlético-PR serão conduzidos em comboio. Outra medida para evitar tumulto será abertura dos portões às 18h, bem antes de o jogo começar.A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) também aumentou o número de fiscais. Serão 55 homens organizando o trânsito na região do estádio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.