AFP
AFP

Policiais gregos esperam pedido de desculpas de Maguire, do Manchester United

Zagueiro inglês se envolveu na semana passada em uma briga de bar na ilha de Mykonos, onde passava férias

Redação, Estadão Conteúdo

26 de agosto de 2020 | 16h02

A polêmica envolvendo o zagueiro inglês Harry Maguire, capitão do Manchester United, e sua condenação a 21 meses e 10 dias de prisão na Grécia por ter se envolvido na semana passada em uma briga de bar na ilha de Mykonos, onde passava férias, junto com seu irmão e um amigo ainda repercute. Nesta quarta-feira, um dia depois da Justiça grega considerar o jogador culpado, os dois policiais agredidos pelos três esperam um pedido de desculpas.

"Eles me disseram que ainda estavam esperando pelas desculpas e que não as receberam", afirmou Ioannis Paradissis, advogado dos policiais, à rede de TV britânica BBC, acrescentando que, considerando a lei grega, as desculpas "poderiam fazer a diferença" no recurso que foi impetrado por Maguire nesta quarta-feira. "Acho isso bastante chocante e antidesportivo. O fairplay (jogo limpo) exige que, quando você faz algo errado, você se desculpe ou pelo menos se desculpe pelo que aconteceu com a outra pessoa".

Além da agressão, Maguire foi condenado por insultos e tentativa de corrupção. O Manchester United emitiu uma nota oficial nesta quarta-feira sobre o assunto. "Um recurso contra o veredicto de ontem (terça) foi apresentado esta manhã pela equipe jurídica de Harry. De acordo com o processo judicial grego, a submissão do recurso extingue o veredicto inicial do tribunal e anula a condenação. O recurso foi aceito e levará a novo julgamento em tribunal superior. Isso significa que Harry não tem antecedentes criminais e é mais uma vez considerado inocente até que se prove culpado", disse o clube.

Na terça-feira, horas depois de ter sido chamado pelo técnico Gareth Southgate para os dois primeiros jogos da seleção da Inglaterra pela Liga das Nações da Uefa, em setembro, o jogador foi desconvocado pela Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês).

"Por conta dos acontecimentos desta noite (de terça-feira, na Europa), eu confirmo a desconvocação de Harry Maguire da seleção inglesa para os jogos contra Islândia e Dinamarca", afirmou Southgate em um comunicado oficial divulgado pela FA. "Como disse mais cedo hoje (terça), me reservei no direito de rever a situação. Depois de conversar com o Manchester United e com o jogador, tomei a decisão para o melhor de ambas as partes e considerando a preparação na próxima semana".

Agora sem Maguire, outros 23 jogadores foram chamados por Gareth Southgate para as partidas fora de casa contra a Islândia, em Reykjavik, em 5 de setembro, e contra a Dinamarca, em Copenhague, três dias depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.