Policial comandará árbitros paulistas

Marcos Marinho, tenente-coronel da Polícia Militar de São Paulo, é o novo presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol. Ele começou nesta terça-feira seu ?desafio de recuperar uma imagem desgastada?? ? como define a situação atual da arbitragem depois do escândalo de manipulação de resultados envolvendo os ex-árbitros Edílson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon.O novo presidente já tomou a primeira decisão: estabelecer um código de conduta, que será base para definição da escala de árbitros a partir de 2006 nas competições estaduais. ?Vamos acabar com esse negócio de escalar juízes por amizade. Será algo impessoal, baseado na atitude do juiz dentro e fora do campo. Além do bom nível técnico, tem de se comportar, ter disciplina??, disse Marcos Marinho, que durante 17 anos trabalhou no policiamento dos estádios.Ele já solicitou sua ida para a reserva na PM e será remunerado na FPF (o salário não foi divulgado). Marcos Marinho rebate as críticas de que não entende de arbitragem. ?Não sou alienado??, avisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.