Saeed Khan / AFP
Saeed Khan / AFP

Político russo lembra guerras ao ironizar queda de alemães: 'Vítimas se vingaram'

Posteriormente, Oleg Korolyov, governador do Estado de Lipetsk, minimiza polêmica e lembra de negociações comerciais atuais entre os dois países

Estadão Conteúdo

29 Junho 2018 | 11h58

Governador do Estado russo de Lipetsk, que fica na fronteira com a Ucrânia, Oleg Korolyov foi irônico ao comentar a eliminação precoce da Alemanha na Copa do Mundo, na fase de grupos do torneio. Em um post feito nesta sexta-feira em uma rede social, excluído mais tarde, o político relacionou o fracasso alemão no Mundial, sediado na Rússia, com os conflitos travados entre os países em guerras no século 20.

+ Em chegada à Alemanha, Neuer diz que seleção está 'furiosa' e exime Löw de culpa

+ Campeão do mundo em 1990, Matthäus diz que 'algo tem de mudar' na seleção alemã

"O desempenho vergonhoso da Alemanha na Copa do Mundo aconteceu apenas porque no nosso território eles deflagraram duas Guerras Mundiais e as almas de dezenas de milhões de vítimas se vingaram deles. A história e o tempo interferiram", escreveu o governador no Twitter.

Os protestos pela brincadeira, considerada de mau gosto, motivaram Korolyov a apagar a mensagem e escrever outra em seguida. O político minimizou a polêmica e lembrou que Rússia e Alemanha são países com um bom histórico recente de negociações comerciais.

"Alguém novamente se irritou no Twitter. Agora sobre os alemães no futebol. Aparentemente, esse 'alguém' nos inveja muito por causa da cooperação produtiva com a Alemanha (investimentos, joint ventures, etc). Nós prezamos pela cooperação com eles, assim como com outros investidores! Então não se incomode! É inútil", publicou o russo.

 

Atual campeã do mundo, a Alemanha foi eliminada na Rússia com duas derrotas e apenas uma vitória na primeira fase da Copa. A seleção comandada por Joachim Löw abriu campanha sendo batida por 1 a 0 pelo México e depois reagiu ao vencer a Suécia por 2 a 1, mas depois deu adeus ao Mundial de forma vexatória ao cair por 2 a 0 diante da Coreia do Sul, na última quarta-feira, em Kazan.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.