Polônia diz que não perderá a organização da Eurocopa

Michal Listkiewicz, presidente da Federação Polonesa, rebate italianos, que manifestaram interesse no evento

Efe,

29 de janeiro de 2008 | 11h17

O presidente da Federação Polonesa de Futebol, Michal Listkiewicz, afirmou nesta terça-feira que não há risco de Polônia e Ucrânia perderem a organização da Eurocopa de 2012, após seu colega italiano, Antonio Matarrese, afirmar que estes países não estão preparados e pedir que a Itália sedie a competição. "Não há perigo que ninguém, incluindo a Itália, nos tire a organização da competição européia", declarou em entrevista coletiva Listkiewicz, que quis tranqüilizar os torcedores poloneses e que afirmou que serão cumpridos os prazos previstos para a finalização dos novos estádios e das infra-estruturas necessárias para poder receber este evento esportivo. Listkiewicz respondeu desta forma às declarações do presidente da Federação Italiana de Futebol, Antonio Matarrese, que pediu à Uefa que reconsidere sua decisão de que Polônia e Ucrânia sejam os anfitriões da Eurocopa por causa da pouca preparação e experiência destes países. "A Polônia e a Ucrânia ainda precisam de muito tempo para concluírem suas infra-estruturas e seus novos estádios, enquanto nós á estamos prontos e temos a experiência para sediar um evento como este", declarou Matarrese. As dúvidas não chegam apenas da Itália, mas também são muitos os poloneses que acreditam que não serão cumpridos os prazos para concluir as obras e inaugurar os novos estádios a tempo, fundamentalmente pela falta de trabalhadores que vivem na Polônia após as ondas de emigração dos últimos anos. A situação chega a tal ponto que o Governo estuda o uso de 20 mil presidiários nas construções para a Eurocopa, o que permitiria acelerar os trabalhos e se ajustar ao calendário fixado pela Uefa.

Tudo o que sabemos sobre:
Eurocopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.