Ponte admite ceder um meia por Daniel

A contratação do lateral direito Daniel, do Palmeiras, continua a ser prioridade na Ponte Preta, que aceita até ceder um de seus jogadores para o time da capital, provavelmente o meia Marco Aurélio. Após encontro entre o presidente da Ponte Preta, Sérgio Carnielli, com Mustafá Contursi, presidente do Palmeiras, na quarta-feira, as negociações ficaram bem adiantadas.Os dois times são donos do passe de Daniel, com 50% para cada. Como no elenco há um excesso de meias ofensivos, alguém desta posição deve ser o escolhido para deixar Campinas. O recém contratado Marquinhos, além de Humberto, Piá, Dionísio, Elivélton e Marco Aurélio atuam no meio campo. Destes, Marco Aurélio é o que menos vem jogando, não passando por uma boa fase. Seu passe pertence ao Flamengo e ele está emprestado a Ponte até o final de 2001. O meia chegou a marcar gols importantes, mas seu futebol não é regular.O time está sem um lateral direito. O meia Dionísio e o zagueiro Alex Oliveira estão sendo improvisados na posição. "Precisamos de um especialista", declarou o treinador.Ainda sem Daniel, a Ponte Preta enfrenta o Fluminense neste sábado no Estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro. Alex Oliveira será o lateral-direito. No meio, Marquinhos estreará na vaga de Piá, que não joga por ter sido afastado do elenco pela direto ria. "Ele está precisando se acalmar, pois está muito nervoso. Queremos ele em boas condições para o Brasileiro", declarou o vice-presidente de futebol da Ponte Preta, Marco Antonio Eberlin. Piá não participará dos treinamentos até a próxima quarta-feira .A estréia do time de Campinas no Campeonato Brasileiro está marcada para o dia 1º de agosto, contra o Flamengo, em Juiz de Fora. Nem a ameaça do Clube dos 13, que planeja criar uma liga nos moldes da Copa João Havelange, tiraria de fora o time do campeonato que substituiria a primeira divisão. O presidente Sérgio Carnielli disse que conversou com alguns integrantes do Clube dos 13 que garantiram a presença da Ponte Preta como convidada. Desde que voltou à Primeira Divisão, em 1998, o clube realiza boas campanhas no nacional. Em 1999, chegou às quartas-de-final, quando foi eliminada pelo São Paulo. Na Copa João Havelange, em 2000, o time também alcançou as quartas-de-final, onde perdeu para o Grêmio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.