Ponte ainda conta com os gols de Roger

Cobiçado pelos importantes gols que tem marcado com a camisa da Ponte Preta, Roger vai continuar jogando normalmente no Campeonato Brasileiro até que venha realmente a ser negociado. Esta foi a posição assumida, oficialmente, pela diretoria nesta segunda-feira. Mesmo reconhecendo que uma negociação parece inevitável a curto prazo, o vice-presidente de futebol, Marco Antônio Eberlin, quer deixar o jovem "matador" tranqüilo para ajudar o time nos próximos jogos. "Cada gol dele pode significar pontos importantes para o time em termos de classificação. Então só vamos liberá-lo quando tivermos fechado algum negócio, o que não aconteceu até este momento", explicou Eberlin. Ele sabe do interesse de alguns clubes, mas não confirmou quais seriam. Entre os comentados está o São Paulo, que mantém amigáveis relações com o clube campineiro. Roger valeria algo em torno de US$ 1,5 milhão. Metade do passe é da Ponte, outra metade pertence a um grupo de investimento e seu procurador é o empresário uruguaio Juan Figger. Revelado nas categorias de base do clube, Roger completou 20 anos no dia 7 de janeiro. De família humilde, nasceu em Campinas, e sonha em melhorar de vida com o futebol. "Foi isso que enfiei na minha cabeça e tenho me concentrado desde o início do ano", diz ele. O resultado foi imediato em campo, com 12 gols na temporada - nove no Campeonato Paulista e três no Brasileiro, onde divide a artilharia com Alex Alves, do Botafogo, e Robinho, do Santos. Para o técnico Vadão, que o efetivou como titular contra a vontade da torcida, a principal qualidade do Roger é sua personalidade. "Ele é determinado e não tem medo de nada. A sua coragem o transforma num grande goleador", atesta Vadão. Costumeiramente vaiado pela torcida, Roger responde com gols na expectativa de defender um grande clube, chegar na seleção brasileira e jogar no exterior. É um filme que passa na sua cabeça desde garoto, quando seu ídolo era Luís Fabiano, revelado na Ponte, que brilhou no São Paulo, seleção e defende o Porto, de Portugal. No começo de carreira, Luís Fabiano também era muito visado pela torcida ponte-pretana. "Eu me espelho nele até nisso. Vou continuar marcando meus gols. O resto vai acontecer normalmente", promete o ?endiabrado? atacante, que tem 1,84 m e corpo privilegiado. Após a vitória de 2 a 0 sobre o Paysandu, sábado, os jogadores da Ponte ganharam folga. Eles voltam aos treinos nesta terça-feira cedo, então para seguir à risca um planejamento elaborado para o jogo contra o Fortaleza, sábado, no Ceará. O veterano Galeano, suspenso com três cartões amarelos, deve ser substituído por Luís Carlos. Com sete pontos em três jogos, o time campineiro é quarto colocado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.