Ponte assimila bem a goleada

A humilhante derrota por 5 a 0 para o Goiás, domingo, no Serra Dourada, não deve causar impacto na Ponte Preta para o restante do Campeonato Brasileiro. Insatisfeito com o desempenho do time, o técnico Nenê Santana fez questão de creditar o mau futebol apresentado aos desfalques. Cinco jogadores - Alexandre, Luiz Carlos, Romeu, Júlio César e Weldon - não puderam atuar já que estavam suspensos pelo terceiro cartão amarelo."Perdemos mais de meio time para essa partida e ficou complicado segurar o Goiás, que tem um grande time e vai brigar pela conquista do título", disse o treinador que, apesar dos problemas, esperava um rendimento um pouco melhor. "Perder é normal, mas da forma como aconteceu, não. Apresentamos muitos erros na marcação", ressaltou.As falhas no sistema defensivo, inclusive, vêm prejudicando o desempenho do time em um critério de desempate bastante importante na competição: o saldo de gols. Com um ataque pouco eficiente - marcou apenas 26 gols-, o clube de Campinas, que levou 38 gol s, tem um saldo negativo de menos 12, na sexta colocação da tabela com 44 pontos. Dos clubes acima na tabela, todos marcaram mais gols do que sofreram. O que tem pior desempenho é o Juventude que mesmo assim ainda possui seis gols positivos."Temos que melhorar porque no futuro pode fazer falta. Vencemos alguns jogos pela contagem mínima e acabamos sofrendo algumas goleadas inesperadas", afirmou o volante Marcus Vinícius. A explicação do jogador tem fundamento. A Ponte venceu seis partidas p or 1 a 0 e apenas duas por mas de um gol de diferença. Em compensação, acabou perdendo alguns jogos por boa margem, como Santos e Atlético-PR (4 a 0), Palmeiras e Paysandu (3 a 0) e Goiás (5 a 0).Para tentar melhorar o retrospecto e voltar a vencer no Brasileirão, o técnico Nenê Santana terá a volta dos cinco atletas que não puderam atuar em Goiânia. Voltam os zagueiros Alexandre e Luiz Carlos, o volante Romeu e os atacantes Júlio César e Weldon. Este, por sinal, ainda não sabe se permanece no clube até o final da competição.O Strasbourg, da França, demonstrou interesse em sua contratação, mas ainda não chegou a fazer nenhuma proposta oficial por seus direitos federativos. Na semana passada, dirigentes do clube estiveram em Campinas, porém, nenhum acordo ainda foi fechado. A pesar da iminente saída do jogador, o vice-presidente Marco Antônio Eberlin garantiu, no final de semana, que não procura um novo matador.No próximo domingo, a Ponte Preta volta a jogar em casa. Recebe o Atlético-MG, às 18 horas, no estádio Moisés Lucarelli. Para essa partida, o único desfalque será o volante Marcus Vinícius, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.