Ponte busca alternativa no ataque

A falta de um artilheiro nunca foi tão sentida pela Ponte Preta como nos dois jogos semifinais da Copa do Brasil, diante do Corinthians. Mas o técnico Marco Aurélio deve pensar numa alternativa, porque dificilmente ele vai contar com Washington para o Campeonato Brasileiro. O presidente Sérgio Carnielli é bastante transparente:"O Washington é a bola da vez". A argumentação do dirigente é de que o clube tem um déficit anual que só pode ser coberto com a venda de algum jogador.Como o atacante está prestigiado, fatalmente será negociado assim que retornar a Campinas após defender a seleção brasileira na Copa das Confederações. Seu passe estaria avaliado em valores próximos aos US$ 6 milhões, mas a direção do clube garante que ainda não recebeu nenhuma proposta oficial embora já tenha sido consultada por empresários da Espanha, de Portugal e da Itália.O atacante é avaliado sobre seus gols. Nesta temporada ele viveu os melhores momentos da carreira, sendo o artilheiro do Campeonato Paulista, com 16 gols, e ainda defende a artilharia da Copa do Brasil, com 11 gols, novo recorde dentro da competição. O anterior era de Oséas, que marcou 10 gols pelo Cruzeiro, ano passado.Por causa da necessidade de se desfazer de seu principal jogador do momento, a diretoria tenta amenizar as críticas recebidas pelo ex-técnico Nelsinho Baptista com relação à liberação do jogador para a seleção brasileira. A CBF chegou até a liberar o artilheiro para disputar as semifinais da Copa do Brasil, mas a diretoria preferiu não barrar a carreira do jogador. "Ele estava muito ansioso com a possibilidade de viajar com a seleção. Entendemos que seria melhor para ele e também para o clube", voltou a se explicar, nesta tarde, o vice-presidente Marco Antônio Eberlin. As eventuais negociações devem ser feitas a partir da próxima semana, quando o atacante retorna do seleção.O técnico Marco Aurélio já começa a pensar numa maneira de montar o time sem Washington. A primeira opção é o garoto Lucas, de 19 anos, que enfrentou o Corinthians, no segundo jogo, em Presidente Prudente. Mas ele já tem um favorito para comandar o ataque da Ponte no Brasileiro: Tuta, do Palmeiras. O lateral Daniel, do Palmeiras, também pode reforçar o time. Metade do seu passe ainda pertence à Ponte. O elenco voltou de Prudente nesta manhã de quinta-feira, em vôo fretado, ainda abatido pela eliminação na Copa do Brasil.

Agencia Estado,

07 de junho de 2001 | 15h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.