Ponte com perfil superior a 2004

Ao mesmo tempo que a Ponte Preta ganha destaque nacional com a liderança do Campeonato Brasileiro, os comentários de que o time é um ?cavalo paraguaio? também surgem aos montes. Se depender do retrospecto da temporada passada, os comentários maldosos têm sua dose de razão. Mas os números atuais são diferentes e melhores do que os anteriores, gerando inevitáveis comparações antes do jogo contra o São Paulo, sábado, às 18h10, no Majestoso, pela décima rodada. Em 2004, os campineiros terminaram o primeiro turno na liderança, empatados com o Santos. Mas no segundo turno, o time não obteve o mesmo sucesso e acabou terminando a competição em décimo lugar com apenas 67 pontos. Mas se forem comparadas as primeiras nove rodadas desta temporada, com as nove primeiras do ano passado, o torcedor pode ficar mais otimista. Em 2004, nesta altura do Brasileiro, a Ponte estava com 14 pontos ganhos e agora já soma 20 pontos. "Realmente houve uma queda assustadora no final do ano passado. Mas este ano estamos determinados a conquistar um resultado melhor que em 2004", garante o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão. Entretanto, algo em especial está chamando atenção neste início: o ataque. Na temporada passada, apesar da campanha razoável, o ataque foi sofrível, tendo marcado apenas 43 gols. O saldo ao final também não foi nada bom: -30. O pior entre os 24 clubes participantes. Neste ano, está ocorrendo um equilíbrio maior, pois o time marcou 19 gols e levou apenas dez. O ataque, curiosamente, desta vez, vem sendo o mais positivo do Brasileirão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.