Ponte confia em jogadores experientes

Para tentar manter a escrita de vencer sempre em seu estádio, a Ponte Preta deposita muita confiança em seus jogadores mais experientes. Entre eles, estão Mineiro e Dionísio, que vão completar contra o São Paulo, sábado, pelo Campeonato Paulista, marcas históricas vestindo a camisa do clube. Mineiro, em dois anos e dois meses de Ponte, vai atuar pela 150ª vez, enquanto Dionísio completará sua 200ª participação. Os dois estão ansiosos e não escondem o desejo de alcançar a quinta vitória seguida, em casa, dentro do Campeonato Paulista da Série A-1. "O meu segredo é a dedicação nos treinos e a determinação nos jogos", comentou Mineiro, que sonha em voltar a servir a seleção brasileira. Ano passado ele foi lembrado pelo técnico Leão, fazendo parte do grupo que enfrentou a Colômbia, no Morumbi. Mineiro, na realidade, é gaúcho e começou a carreira no Internacional de Porto Alegre. Depois defendeu o Rio Branco de Americana, teve uma passagem rápida pelo Guarani e agora vive seu melhor momento na Ponte Preta. A história de Dionísio é um pouco diferente. Ele sempre viveu o ambiente do Majestoso, onde está desde as categorias menores. Depois de se profissionalizar já atuou em várias posições, embora tenha começado como meia. Mas jogou como volante, como meia ofensivo e, ultimamente, aceitou ser improvisado como lateral direito, começando o Paulistão como titular. Seu futebol, porém, não agradou e ele perdeu a vaga para o garoto Carlos Alexandre, que suspenso, não poderá enfrentar o São Paulo. "Penso em jogar e ajudar o time. Prefiro atuar no meio-campo, mas não posso negar um pedido do técnico em entrar como lateral", disse Dionísio. Vice-líder do Paulistão, com 13 pontos ganhos, a Ponte vai tentar sua quinta vitória em casa com três desfalques: o zagueiro Ronaldão, o lateral Carlos Alexandre e o artilheiro Washington. Os substitutos estão praticamente definidos e devem ser confirmados pelo técnico Nelsinho Baptista para pegar o São Paulo. São eles, Alex Oliveira, Dionísio e Giuliano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.