Ponte defende a liderança em Campinas

Líder do Campeonato Brasileiro pela terceira rodada consecutiva, a Ponte Preta não quer desperdiçar a chance de ficar na frente de seus concorrentes nesta 12ª rodada. É que atuará em casa, no estádio Moisés Lucarelli, diante do Figueirense, neste sábado, às 16 horas. Com 23 pontos, o time campineiro vive uma situação confortável, sonhando até com as primeiras posições ao término da competição. O visitante, com apenas 10 pontos, em 18º lugar, luta para se distanciar da zona do rebaixamento. A história do duelo entre as duas equipes é pequena: apenas cinco anos. Antes de 2002, a Ponte nunca havia enfrentado o Figueirense em nenhum campeonato. Em cinco jogos, a Ponte Preta venceu dois, empatou dois e perdeu apenas um. Curiosamente, na última oportunidade em que se enfrentaram no Brasileirão, em 2004, o time catarinense venceu por 2 a 0, em Campinas. Como sempre, o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, não quis fazer mudanças na Ponte Preta. Além de manter o esquema 4-5-1, ele confirmou os mesmos jogadores que participaram da derrota para o São Caetano. Entretanto, durante a semana o treinador trabalhou exaustivamente os passes. Segundo ele, um dos principais fatores da derrota no ABC foi o elevado número de erros de passes. "Temos que valorizar a posse de bola. Errando menos passes, deixamos o adversário com menos chances nos contra-golpes", defende o treinador. No Figueirense, embora os dirigentes não falem publicamente, só uma vitória vai salvar o emprego do técnico Marco Aurélio. Por isso, decidiu escalar o meia Sérgio Manoel. Contratado há cerca de quatro meses, o atleta era considerado um reserva de luxo. Sua entrada no time, no entanto, só foi decidida pela ausência do lateral-esquerdo Michel Bastos, que está suspenso. Sérgio Manoel passa a ocupar o lugar de Marquinhos Paraná, que será improvisado na lateral-esquerda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.