Ponte derrota o São Paulo no Morumbi

O que deveria ser uma festa acabou se tranformando em vexame. O São Paulo perdeu para a Ponte Preta por 2 a 1 em pleno Morumbi. Além de deixar escapar a liderança do Campeonato Brasileiro, o time teve Júlio Santos, Rogério Ceni e Rojas expulsos pelo árbitro Rodrigo Cintra. Acabou a série de nove partidas invictas. Os nervos derrotaram o São Paulo. ?Pergunta agora para o Luís Fabiano se ele vai bater na mãe? Não falou que a Ponte era a sua mãe? Então agora ele que engula o que falou?, provocava Romeu. As preleções dos treinadores foram totalmente antagônicas. Enquanto Rojas pedia calma e fazer tudo para escapar da afobação, Abel era mais decisivo. Raivoso ele confessava. ?Na Capital só estavam falando quanto seria a goleada. Ninguém nem levava em consideração as nossas chances. Perguntei para os meninos que comando se eles iriam deixar barato.? Sua intenção era motivar o seu fraco time. Mas o Rojas e o São Paulo tentavam corresponder o apoio dos seus torcedores. Começou a partida não deixando os jogadores campineiros respirarem. A blitz durou exatos 25 minutos. Tempo suficiente para Fábio Simplício acertar a trave direita com chute forte da entrada da área. Luís Fabiano e Rico contavam com o apoio dos laterais que atuavam como pontas e de Simplício e Gustavo Nery que se infiltravam como meias. Contando com sorte e com o recuo de quase todo o time, a Ponte conseguia se salvar. Só que o São Paulo perdeu a concentração, errava passes seguidos, mas conseguiu acertar a trave novamente em cabeçada de Jean aos 38 minutos. Quando a torcida se conformava com o 0 a 0, tudo ficou pior. Aos 44 minutos, Ronildo desceu pela esquerda e cruzou. Adrianinho errou o chute e a bola foi na cabeça de Jean, atacante da Ponte: 1 a 0 para o time de Campinas. O zagueiro homônimo do São Paulo dava condições legais. O São Paulo voltou tocando melhor a bola e evitando lançamentos inúteis da intermediária para a defesa da Ponte dar chutões. E logo deu resultado. Leonardo cruzou, a zaga desviou e a bola sobrou para Luís Fabiano cabecear. A bola tocou na trave esquerda e voltou para o atacante chutar com raiva: 1 a 1, aos nove minutos. O gol empolgou o Morumbi. A torcida queria a liderança e incentivava demais o time. Só que os nervos traíram o São Paulo. Júlio Santos fez falta violenta no meio-campo e foi expulso aos 37 minutos. Em seguida, aos 40 minutos, foi a vez de Rogério Ceni atrapalhar. Sua experiência não valeu nada. Com a bola parada, acertou o atacante Jean e tomou amarelo. Irritado, provocou o árbitro Rodrigo Cintra e foi expulso. Foi preciso Rojas para tirá-lo de campo. Gustavo Nery acabou sendo improvisado como goleiro. Aos 47 minutos houve uma falta na lateral-direita. Ronildo levantou e Rafael Santos cabeceou: o ?inacreditável? acontecia. Ponte Preta 2 a 1. Rojas ainda conseguiu ser expulso. ?É preciso escalar bom juiz para as partidas do São Paulo?, desabafava Gustavo Nery, tentando repassar a decepção a Rodrigo Cintra.

Agencia Estado,

24 de julho de 2003 | 23h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.