Ponte dribla espiões e esconde escalação da final

Comissão técnica muda local de treino; tudo válido para surpreender o Palmeiras, neste domingo

25 de abril de 2008 | 20h06

Na antevéspera da final do Campeonato Paulista, vale tudo para a Ponte Preta. Dessa forma, a comissão técnica deu um "drible" na imprensa. Nesta sexta-feira à tarde, quando aconteceu o último coletivo da semana. Veja também: Vote: qual time vai ser o campeão de 2008?  Serviço: para quem vai à final Ponte Preta x Palmeiras 'Torcedor comum' do Palmeiras fica de fora da primeira final Sérgio Guedes: 'Ser treinador é muito desgastante' Palmeiras empata com o Sport Recife por 0 a 0 no PalestraProgramado para o gramado do Estádio Moisés Lucarelli, o treino secreto aconteceu no Centro de Treinamentos do Jardim Eulina, que fica do outro lado da cidade. Essa mudança surpreendeu e serviu para aumentar o mistério em torno da escalação do time para enfrentar o Palmeiras, domingo, às 16 horas, no Majestoso.A princípio, o treino teria mesmo os portões fechados, principalmente para esconder a estratégia do time dos "espiões" do técnico Vanderlei Luxemburgo, do Palmeiras. Começaria às 16 horas e seria aberto às 17h15 para a imprensa. Tudo estava muito quieto, causando estranheza e o segredo só acabou sendo revelado pela assessoria de imprensa às 16h45. Quando os jornalistas chegaram no CT o treino já tinha acabado, mesmo porque começou meia hora mais cedo. Além disso, a maioria dos jogadores já tinha ido embora, frustrando o grande número de repórteres que estava no local. "Nosso objetivo não foi ferir a liberdade da imprensa, mas preservar nosso time para os espiões do Luxemburgo", explicou José Luís Carbone, coordenador de futebol.MISTÉRIOO Sérgio Guedes aproveitou a ausência de testemunhas para fazer os últimos ajustes no time e manteve indefinida a escalação oficial, que só vai ser conhecida momentos antes da decisão. Certo mesmo são os quatro desfalques: o lateral-direito Eduardo Arroz, o zagueiro César e o meia César, todos suspensos, além do meia Elias, vetado pelos médicos por ter fraturado uma costela.O mais provável é que o técnico mantenha o time no esquema 4-4-2. Raulen deve entrar na lateral, João Paulo na defesa e o volante Deda, que cumpriu suspensão automática na vitória sobre o Guaratinguetá, por 2 a 1, retorna no meio-de-campo.A dúvida fica para o preenchimento da vaga de Elias, que está afastado desde a primeira partida semifinal. A aposta maior é para a entrada do atacante Wanderley ao lado de Danilo Neco, com Luís Ricardo recuando um pouco e exercendo a função de meia. A alternativa, bem menos cotada, é a manutenção da dupla ofensiva, formada por Luís Ricardo e Danilo Neco e a entrada de um meia, que poderia ser Giuliano, Rafael Ueta ou Renan. Dessa maneira, a mais provável escalação para esta partida final é a seguinte: Aranha; Raulen, Jean, João Paulo e Vicente; Deda, Bilica, Ricardo Conceição e Luís Ricardo; Danilo Neco e Wanderley. Se o técnico Vanderlei Luxemburgo valoriza a parte psicológica nesta final, a comissão técnica da Ponte Preta quer aproveitar o "bom astral" visto na cidade, que se pintou de preto e branco, para fortalecer a união com sua torcida. O treino recreativo deste sábado cedo será realizado no Majestoso com os portões abertos. Depois, o elenco vai iniciar o regime de concentração.

Tudo o que sabemos sobre:
Ponte PretaPalmeirasPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.