Ponte empata com o Fla em Volta Redonda

Com uma forte marcação no meio-de-campo, a Ponte Preta conseguiu empatar com o Flamengo, por 0 a 0, neste sábado, no Estádio da Cidadania, em Volta Redonda, pelo Campeonato Brasileiro. O time de Campinas, em momento algum, esboçou qualquer sinal de vitória, apenas atuando na defesa. Já o Rubro-Negro sentiu a ausência do meia Felipe e desperdiçou muitas oportunidades para marcar o seu gol. A equipe carioca havia empatado na estréia com o Grêmio pelo mesmo placar. O primeiro tempo não foi muito bom e os goleiros praticamente não tiveram trabalho. A Ponte Preta apresentava uma boa marcação, anulando os laterais do Flamengo e buscando os contra-ataques. O Rubro-Negro carioca, por sua vez, tinha mais posse de bola e dominava a partida. Porém, não conseguia transformar esta superioridade em oportunidades de gol. O atacante Jean era quem mais tentava fazer algo diferente. Em cruzamento que saiu após boa jogada pela esquerda, o volante Douglas Silva cabeceou com perigo. Do lado paulista, o lateral-direito André Cunha era o destaque. Em dois chutes seus, a Ponte Preta quase abriu o placar. Nos minutos finais, o Flamengo realizou bom contra-ataque. Jean cruzou, a bola desviou na zaga e o goleiro Lauro espalmou para fora. No segundo tempo, o Flamengo abusou de perder gols, enquanto os jogadores da Ponte Preta davam muito chutões. Era nítido que o time de Campinas estava satisfeito com o resultado. O Rubro-Negro assustava em cobranças de falta do atacante Rafael Gaúcho e em finalizações de Jean. Por duas vezes, o atleta carioca, diante do goleiro Lauro, não conseguiu marcar. Aos poucos, a Ponte Preta foi segurando o ímpeto do adversário. Com o meia Zinho demonstrando sinais de cansaço, o Flamengo começou a sentir mais dificuldades em chegar ao gol paulista. Na sua última boa chance, Ibson, da meia-lua, chutou rente a trave.

Agencia Estado,

24 de abril de 2004 | 18h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.