Ponte está perto de autorização para erguer nova arena

Ponte está perto de autorização para erguer nova arena

Vereadores da Câmara Municipal de Campinas aprovaram projeto para construção da Arena Ponte Preta; falta aprovação do prefeito

Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2014 | 20h05

Além de liderar o Campeonato Brasileiro da Série B e estar a um passo de voltar à elite do futebol nacional, a Ponte Preta está de olho no seu futuro. A cidade de Campinas está muito perto de ganhar uma arena multiuso. O projeto de lei da Arena Ponte Preta depende agora apenas da sanção do prefeito Jonas Donizete (PSB) para sair do papel. Na noite de segunda-feira, os vereadores da Câmara Municipal aprovaram, por unanimidade, o projeto de lei em segunda votação.

Após a aprovação unânime nas votações da Câmara, o projeto foi encaminhado com caráter de urgência para o prefeito. Este, por sua vez, terá a responsabilidade de transformar o projeto em lei. Após isso, restará a publicação no Diário Oficial. Todo o processo deve ser concluído em um mês.

O projeto de lei, de autoria do próprio prefeito Jonas Donizete, altera os termos da lei de 1975 referente à doação do terreno do Jardim Eulina - onde hoje se encontra o Centro de Treinamentos do clube - à instituição alvinegra. Nesta lei original, o terreno poderia ser utilizado apenas para fins esportivos.

Agora, o novo projeto propõe a alteração para permitir o uso do local para construção de uma arena multiuso bem como autoriza a Ponte Preta a explorar no local outras atividades como comerciais, de serviços, shows, esportivas, culturais e outras. Medida essencial, já que o local deve receber a construção de um hotel, um centro de compras, estacionamento e espaço para receber shows e outros eventos.

Ainda de acordo com o projeto, a Ponte Preta terá 10 anos - prorrogáveis por outros 10 - para executar todas as obras a que se propõe no local. O clube também poderá ter parceiros. Para isso, no entanto, o terreno terá de ser sempre da Ponte Preta - que pretende concluir a arena em um prazo de até 3 anos.

Além disso, a nova lei prevê que 2% da receita bruta da arena serão destinados ao Fundo de Assistência ao Desporto Amador e de investimentos esportivos no município. Fato que tornou-se determinante para aprovação de forma unânime pelos vereadores e também para contar com o apoio da prefeitura.

Embora a diretoria do clube mantenha os detalhes do projeto da arena em sigilo, a diretoria da Ponte Preta garante já ter parceiros para viabilizar o projeto. Entre a agremiação e a empresa responsável pela construção está tudo acertado. O clube não arcará com nada na construção da nova arena e o próprio grupo de investidores cuidará diretamente com os trâmites para realização da obra. O tempo de contrato será de 30 anos.

Neste sábado, a Ponte Preta vai defender a liderança do Campeonato Brasileiro da Série B contra o Sampaio Corrêa, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela 33.ª rodada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPonte PretaCampinasarena

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.