Ponte faz da união seu trunfo contra CBF

Se depender da garra e união dos jogadores e da comissão técnica, a Ponte Preta vai enfrentar todos os obstáculos dentro do Campeonato Brasileiro como uma verdadeira guerreira. Simbolizado no técnico Abel Braga, a "Família Abelão" promete lutar até o fim contra as "perseguições" denunciadas pela diretoria. A união do elenco ficou evidenciada após o empate por 1 a 1 com o Criciúma, quarta-feira, no estádio Moisés Lucarelli. O time só empatou aos 46 minutos do segundo tempo, no sufoco, mas vibrou como se tivesse conquistado a Copa do Mundo. Atletas, técnico e auxiliares se uniram no campo como meninos e deixaram o gramado de mãos dadas e, incrível, ovacionados pela torcida que parece entender a situação do clube.Desde o ano passado a Ponte enfrenta uma séria crise financeira. Salários atrasados e a falta de credibilidade espantaram vários jogadores. Alguns saíram de forma espontânea, outros recorrendo à Justiça do Trabalho. A bruxa também andou solta e o time acabou vítima de várias contusões. Restou a Abel um grupo jovem e imaturo, vindo do combalido departamento amador do clube. Na base ?do amor à camisa?, o time se superou no Campeonato Paulista e faz o mesmo no Campeonato Brasileiro. Só não esperava perder quatro pontos no STJD (Superior Tribunal de Justiça) por causa da utilização irregular do volante Roberto nos jogos contra o Internacional e o Juventude. O ponto contra o Inter já foi tirado e os pontos do outro jogo devem cair após julgamento confirmado para o dia 29 de abril.A Ponte, agora, treina com vistas ao jogo diante do Paysandu, domingo, em Campinas. O volante Roberto, após dois jogos, poderá voltar ao time e o zagueiro Gérson também poderá estrear. Ele estava escalado para pegar o Criciúma, mas foi riscado de última hora porque havia dúvida sobre sua condição de jogo. O Brasiliense não teria pago uma multa na CBF para converter uma punição de seis jogos recebida na Copa Centro-Oeste. Foi, na verdade, uma medida preventiva. Gato escaldado tem medo de fria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.