Ponte: jogadores ?fecham? com Vadão

Mesmo caindo pelas tabelas nas últimas rodadas do Torneio Rio-São Paulo, a Ponte Preta tenta buscar forças para uma reação e até mesmo para lutar por uma das vagas nas semifinais. Vivendo um momento de tensão, os jogadores demonstram estar fechados com o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, que tem sido o principal alvo das críticas. Um dos seus maiores defensores é o experiente goleiro Ronaldo, que ainda nos vestiários do Morumbi, após a derrota para o Corinthians, por 3 a 1, justificou o novo tropeço. "O Vadão nos alertou de tudo que iria acontecer. Mas, em campo, não fizemos direito o que ele pediu", reforçou o goleiro após a movimentação da segunda-feira à tarde no centro de treinamento. Outros jogadores, também saíram em defesa de Vadão como os volantes Roberto e Mineiro. Há quatro rodadas sem vencer no Rio-São Paulo, a Ponte está em décimo lugar com apenas 14 pontos. Entre os paulistas só supera a Portuguesa de Desportos, que tem 12 pontos. Coincidentemente os dois time se enfrentam, Quarta-feira, no Canindé, num "jogo de seis pontos" em termos de fuga do rebaixamento. A comissão técnica, porém, evita falar em rebaixamento, insistindo que a luta ainda é pela classificação. Mas existe uma insatisfação muito grande com as últimas arbitragens, principalmente diante dos grandes clubes. "Os erros contra a gente têm sido muito constantes", lamentou o diretor de futebol, Marco Antonio Eberlin. Vadão só deve confirmar o time após o coletivo previsto para terça-feira cedo. O zagueiro Rodrigo, expulso diante do Corinthians, deve ser substituído por Luis Carlos. No ataque, Jean está praticamente vetado pelo departamento médico, por causa de um entorse no joelho. Orlando pode, finalmente, ganhar uma chance.

Agencia Estado,

18 Março 2002 | 16h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.