Ponte leva suas estrelas para o Rio

O artilheiro Washington e o volante Mineiro as duas maiores estrelas do elenco da Ponte Preta, serão as principais atrações do time campineiro diante do Vasco da Gama, neste domingo, às 16h00, em São Januário, na estréia do time dentro do Rio-São Paulo. O jogo também marcará a estréia do veterano goleiro Ronaldo, ex-Corinthians, que espera impedir os gols do atacante vascaíno Romário.A intenção da diretoria da Ponte era vender seus estrelas para equilibrar as finanças do clube. Mas as possíveis negociações não deram em nada, dando condições do técnico Vadão de escalar os jogadores na competição. "Seria bom sair para ganhar dinheiro, mas não houve nenhuma proposta real. Então vou entrar em campo com a mesma disposição e garra, sempre em busca de gols", comentou Washington que era pretendido por São Paulo, Corinthians, Grêmio, Roma, da Itália, e até pelo Totenham, da Inglaterra.O volante Mineiro esteve com um pé no Cruzeiro, mas também continuará no Majestoso. "Renovei contrato com a promessa de que a diretoria facilitaria minha saída, mas não apareceu nenhum clube que fechasse negócio", analisou o volante.Além deles, o time está mais experiente com Ronaldo, de 34 anos, que demonstrou nos treinos uma enorme disposição para brilhar no novo clube. Ano passado ele esteve no Gama, de Brasília. Agora tem a missão de ser titular na Ponte, clube que tradicionalmente revela goleiros, mas que "queimou" três deles na temporada passada: Alexandre Favaro, Adriano e Lauro. Seu primeiro desafio, em campo, é impedir os gols de Romário. "É o mais perigoso atacante do Brasil, mas se depender de mim ele vai passar em branco neste jogo", brincou o estreante.Vadão também resolveu apostar numa jovem promessa do clube: o atacante Jean, de 21 anos. Ele vinha sendo preparado desde o ano passado para ser titular, condição que adquiriu nos treinamentos. Mas no segundo tempo, pode aparecer um jogador conhecido dos vascaínos: o atacante Paulo César, emprestado por um ano. Vadão garante que com Jean ou com Paulo César o seu time vai atuar ofensivamente. "Esta é minha filosofia de jogo", justificou.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2002 | 16h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.