Ponte não tem dinheiro para reforços

A diretoria da Ponte Preta pretende manter sua filosofia rígida no controle de suas finanças. Para tanto, os dirigentes já decidiram como será o sistema de contratação de reforços para a próxima temporada: eles só serão contratados, caso o clube consiga vender, pelo menos, dois de seus principais jogadores. Os mais cotados são Washington e Mineiro. O atacante Washington estaria nos planos de um clube europeu. No meio do ano seu nome foi cogitado pelo Boudeaux, da França, mas o negócio não saiu devido ao elevado valor do passe: US$ 4 milhões. O São Paulo é outro clube que pode iniciar uma negociação, pois está vendendo o passe de França para o futebol alemão. O Cruzeiro já manifestou interesse pelo volante Mineiro, mas ainda não oficializou nenhuma proposta.?Infelizmente, o futebol está cada vez mais difícil de se tocar. Se não vendermos alguns jogadores, não teremos como cobrir nossos compromissos em 2002", disse o presidente Sérgio Carnielli, há cinco anos na direção do clube. O técnico Oswaldo Alvarez já entregou ao vice-presidente Marco Antonio Eberlin uma relação de nomes para reforçar o elenco. As posições mais carentes são a lateral direita e o ataque. Nos próximos dias, a direção espera definir a situação de alguns jogadores. O meia Marco Aurélio deve sair, uma vez que seu passe pertence ao Flamengo e está estipulado em US$ 1 milhão. O atacante Macedo espera ganhar passe livre do Grêmio e sonha com uma transferência. Já o lateral-esquerdo André Silva deve ser devolvido ao Vasco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.