Ponte não vai mudar programação

A primeira impressão causou impacto, mas depois de uma análise detalhada, a direção da Ponte Preta não se importou com a antecipação de quase toda a rodada para sábado, inclusive o seu jogo decisivo contra o Rio Branco, em Americana. O líder do Campeonato Paulista, com 28 pontos ganhos, só não abre mão de lutar pelo primeiro lugar na classificação geral, que vai garantir a vantagem dos empates nas semifinais."Num primeiro momento, a antecipação causou a mudança de nossa programação. O maior problema é a viagem de retorno de Belém", justificou o técnico Nelsinho Baptista, que comanda o time, nesta quinta-feira, diante do Remo-PA, pelas oitavas de finais da Copa do Brasil.O diretor de futebol, Marco Antônio Eberlim, confessa que inicialmente pensou até em cancelar o jogo no Pará. "Mas depois resolvemos deixar tudo como estava, dando um descanso maior aos jogadores no final de semana", lembrou. A alteração vai abrir espaço para que os jogadores ganhem uma folga prolongada do sábado, após o jogo, até terça-feira cedo. Daí o elenco deve se concentrar permanentemente, então pensando no início das semifinais do Paulistão.O dirigente também não se importou com a manutenção do clássico entre Corinthians e São Paulo para domingo. "Independente do que vai acontecer lá em São Paulo, vamos entrar em campo para vencer o Rio Branco. Não adianta ficar pensando em combinações de resultados".Na realidade, a Ponte nem precisa vencer o seu último jogo para terminar em primeiro lugar. Bastam dois pontos, o que seria conseguido com um empate de gols e a conquista do ponto extra na cobrança de penalidades máximas. Com 30 pontos, o time campineiro não será alcançado pelos seus concorrentes diretos, Corinthians e Santos, que podem atingir, no máximo, 29 pontos.Duas baixas já estão confirmadas. O lateral direito Carlos Alexandre recebeu o segundo cartão amarelo e será substituído por Gláucio, enquanto o lateral-esquerdo Elivélton, com uma lesão no ligamento do joelho direito, está vetado. Em seu lugar entra Luciano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.