Ponte perde e dá adeus à Sul-Americana

A Ponte Preta se despediu de sua torcida nesta temporada perdendo para o Internacional, por 2 a 1, neste domingo à tarde, no Majestoso, em Campinas. A derrota decretou o fim do sonho de disputar, pela primeira vez na história, uma competição internacional em 2005. A Ponte permanece com 61 pontos, em décimo lugar, enquanto o Inter é nono, com 64 pontos, e perto de uma vaga na Copa Sul-Americana.Na última rodada, apenas cumprindo tabela, a Ponte enfrentará, em Salvador, o Vitória, que está ameaçado pelo rebaixamento. O Inter vai pegar o Paraná, no estádio Beira Rio.O time gaúcho começou melhor, explorando bem o lado esquerdo do ataque. Por ali conseguiu abrir o placar logo aos quatro minutos, quando Rodrigo Paulista fez o levantamento e Cleiton Xavier, do outro lado, cabeceou de cima para baixo. Mas a Ponte reagiu rapidamente, criando boas chances para empatar. Aos 10 minutos, com um chute de Danilo, defendido por André, e depois em duas cabeçadas de Roger que obrigou André a praticar boas defesas.Mas a Ponte não desistiu, enquanto o Inter adotou o contra-ataque como sua principal arma. O empate saiu somente aos 41 minutos, quando Danilo cobrou falta na frente da área, mandando a bola no ângulo direito de André. Este gol foi a senha para a torcida festejar, durante o intervalo, o rebaixamento para a Série B do rival, o Guarani. Com dois caixões e uma cruz verde, os torcedores fizeram o enterro simbólico do arqui-inimigo.Como os dois times precisavam vencer, o segundo tempo começou em ritmo forte e franco. Aos 14 minutos, cada time criou uma chance real para desempatar. Após um virada com a perna esquerda, Diego acertou a quina do travessão de Lauro. No lance seguinte, R oger apareceu livre na entrada da grande área, desferiu um chute forte e que explodiu no travessão de André.O Inter desempatou aos 15 minutos, quando Chiquinho dominou a bola sozinho na grande área e bateu cruzado. A bola ainda tocou na trave esquerda de Lauro antes de entrar: 2 a 1. O técnico Nenê Santana, da Ponte, tentou ganhar força ofensiva com as entrada s do meia Júlio César e do atacante Anselmo, respectivamente, nos lugares de Danilo e Roger. As mudanças, porém, não deram resultado positivo. A Ponte ficou sem força ofensiva e o Inter diminuiu seu ritmo ofensivo, preferindo garantir a vitória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.