Ponte pode ajudar S. André contra Guarani

A Ponte Preta pode dar uma mãozinha ao Santo André diante de seu maior rival e inimigo, o Guarani, que disputam a terceira fase da Copa do Brasil. A diretoria da Ponte ainda não tomou uma decisão sobre a liberação ou não do lateral direito Alexandre e do meia Vander para o primeiro jogo que os dois times farão na quarta-feira à noite, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas.Existem vários pontos que estão sendo avaliados. A liberação dos atletas iria prejudicar a preparação do time nesta semana, que a partir de segunda-feira à noite estará concentrada na Estância Santa Filomena, em Jarinu, onde fará o seu terceiro período de treinamento sob o comando do fisicultor Luis Fernando Goulart. "É importante que todo o elenco esteja presente para que possamos ter uma hegemonia na preparação do grupo", avalia.O técnico Estevam Soares também acha importante a incorporação rápida dos novos reforços para que possa aproveitá-los nos treinamentos técnicos e táticos. Mas como conhece de muito tempo a rivalidade entre Ponte e Guarani, Soares deixa a decisão para a diretoria. Estevam começou a carreira de jogador profissional, na década de 70, no Guarani. Lá também iniciou a carreira de técnico, embora já tenha duas boas passagens no comando da Ponte. "Vou aguardar uma decisão dos dirigentes", ponderou.Em termos legais, o "empréstimo" dos jogadores seria possível, porque a Ponte tem até sexta-feira para relacionar os jogadores que atuaram na primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Assim, Alexandre e Vander, defenderiam o Santo André na quarta-feira e no dia seguinte se juntariam ao elenco da Ponte. A estréia do time campineiro será dia 22 de abril contra o Corinthians, no Majestoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.